Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

because your smile make me live ♥

so strong, so broken

so strong, so broken

because your smile make me live ♥

23
Out16

A clareira

Ela era apenas uma rapariga que gostava de ler, era a sua maneira de escapar à realidade a que era sujeita. Sonhar acordada era uma constante, tanto que lhe passaram a chamar a ingénua.

A neblina ia invadindo a floresta ao anoitecer, concedendo-lhe aquele ar de mistério. A luminosidade começava a escassear, mas isso não a impedia de continuar. O vestido longo arrastava as pequenas folhas que iam caindo com o movimento do vento, os cabelos longos e ondulados tocavam nos ombros e costas nuas. Ela não sabia qual era o seu destino, apenas sabia que tinha que continuar e desfrutar da sensação que a natureza lhe proporcionava. Parada no meio daquele ambiente de mistério e aconchego, ainda era possível ver a entrada da floresta e as cores no horizonte, tons de rosa, laranja e vermelho, com alguns rasgos brancos das nuvens. Era uma explosão maravilhosa, que transmitia uma paz para os olhos verem, a beleza que o universo pode proporcionar. Os minutos dourados iam desvanecendo-se e dando lugar ao luar que lentamente ia subindo no céu. Ela caminhava para dentro da floresta, as formas das árvores iam mudando com a ascensão luar, o vento permitia ouvir os sons da natureza, os animais noturnos que acordavam e os diurnos que se preparavam para irem dormir. Deixando-se guiar pelos seus sentidos foi dar a uma clareira pequena, mas repleta de flores que coabitavam com pirilampos, proporcionando um ambiente mágico. Como era belo e sossegado, o vestido e os cabelos continuavam a esvoaçar ao vento enternecedor, os pensamentos fluíam como os pirilampos que rodopiavam pelo ar. Ela deixou-se cair e o seu corpo perdeu o peso do mundo e abraçou a energia que aquele ambiente proporcionava. Não existia nada para além da beleza que era vista, e os sentimentos e sensações que os sentidos captavam. O tempo deixara de existir, porque a vida passara a ser tão simples naquela noite.  O corpo dela encontrava-se deitado na relva rasteira, a sua mente deixava-se levar, naquela clareira em que tudo era possível para uma mente ilimitada e curiosa. Ela descobrira que a beleza não está só no ambiente que a rodeava, mas também nela própria. Um ramo permitia-lhe escrever os seus pensamentos soltos naquele chão coberto de terra, folhas e erva. A terra iria guardar os seus desejos e segredos. O luar começa a desvanecer-se com os primeiros raios de sol, mais uma vez ela levanta-se e percorre o caminho por onde veio. A neblina desaparece com o calor da terra, as sombras e formas passam a tomar estrutura, mas o vento continua a fazer-lhe companhia, a percorre-lhe o corpo e a aguçar os sentidos. À entrada da floresta os raios de sol tomam a forma do sol e ela sorri.

Não importava qual era o livro, a história era lida e sentida, e nas horas que era obrigada a viver a sua vida para ter um futuro e sustentar-se, a sua mente divagava pelo sonho que tinha desde que era uma criança, que aprendera a ler e escrever. A clareira onde se permitia ser ninguém, a ser a própria liberdade, os próprios desejos, a ser a pessoa ingênua que busca encontrar o seu lugar no mundo.

 

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Mensagens

Inspiração


Follow

Sentimentos

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.