Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

because your smile make me live ♥

forceful, trust, connected & discovering the wonders of the universe ✨

because your smile make me live ♥

forceful, trust, connected & discovering the wonders of the universe ✨

29
Abr24

o reflexo no espelho

alma de bii yue

é difícil olhar nos olhos, quando estes transparecem o estado da alma.

uma identidade que passou a deixar de se amar.

aceitou-se no conformismo. 

uma rotina. hábitos. alguns nem sempre tão fáceis. outros que ficaram esquecidos no tempo onde existia aquele esforço e vontade. 

mas com as regras, o conforto ganhou. e com o isso o mais simples e rápido. 

pequenos gestos que têm potencial de elevar o astral. mas e ter a energia necessária?!

quando o corpo esta cansado, quando o mental se vê de uma maneira tão distante.

saber qual é o caminho, por onde re-começar...

desassociação.

em constante movimento para não ouvir a solidão, para calar as vozes dos monstros.

o leme que segura a sanidade que se esvazia. 

um copo cheio a transbordar. um balde quase vazio com furos que derramam lentamente.

à deriva, num mar carregado. desalento, letargia, melancólia. ondas que abalam. 

pequenos raios de esperança que raiam, e tornar visível a linha ténue que indicia o horizonte. 

derrotada contra mim mesma. 

a calma entre vagas que traz prespectiva, possibilidades, a expectação. 

de mãos dadas com a fantasia. para não perder a capacidade de sonhar. 

de navegar.

de avançar. 

de procurar a coragem.

26
Abr24

asas de sangue

alma de bii yue

pequena e fraca em asas cobertas de sangue.

sem saber em que direção seguir. tão simples como subir ou caminhar sobre o desconforto das pedras.

impedida pela pena que vêm do coração, e travada pelas muralhas de entorpecimento.

 

um ser humano que não é perfeito, uma falha perante a sociedade. uma personalidade diferente que é colocada na caixa de problemática e difícil. onde encaixar? como encaixar? 


em que tempos é que larguei a mão de sentir felicidade? de amar? de não sentir estar a passear pelos penhascos.

caótico, no meio de uma liberdade extravagante. quem sou eu, entre os estilos que me fazem vibrar, as palavras que me permitem sonhar e escapar, entre as muralhas de ficar escondida da realidade. 

perdida. cansada. despedaçada. fraca. despersonalização. 

presa em mim mesma. fugida do mundo.

sem dar importância. sem amoldar-me, nas mais diversas situações. sem a energia para continuar. 

mente numa impermanência, abatida, esmaecida. em sobremodo com todas as vozes. 


caída de joelhos num chão frio oco e vulnerável. com lágrimas que percorrem a face e caem sobre o corpo. feridas impercetíveis que ardem. uma vontade que quer ignora o perigo. um padecimento lento.

 

quanto peso nas gotas que escorrem pelo corpo...

até onde é que as asas aguentam...

qual o limite de feridas que reabrem...

até onde pode ir a renúncia de mim mesma...

12
Mar24

#3 para 12 meses de 2024

alma de bii yue

A sua personagem está numa uma estação de comboios. O seu olhar cai sobre uma pessoa com quem têm um relacionamento complicado. Não há como a sua personagem evitar essa pessoa e ela a detecta. O que acontece depois?

 

"Merda! De tantos sítios porque tinha ser logo a entrar para o comboio?!" - pragueja mentalmente. 

Numa tentativa em vão e em reação do momento, entra logo no comboio e tenta procurar um lugar que já estivesse ocupado, mas aquela hora da tarde haviam bastantes lugares livres. Enquanto procurava por um canto escondido, sente-se a ser seguida ao longe. 

As pessoas que entraram depois de si, começam a sentar-se e por cima do olho consegue ver aquela pessoa à sua procura com o olhar. Continua a caminhar pelo corredor e entra na próxima carruagem, num movimento rápido desce as escadas, e senta-se num lugares mais escondidos e do lado oposto da escada. 

Coloca a mala no assento livre, despe o casaco e usa-o como almofada para abafar o seu suspiro de frustração - "Pode ser que não me tenha reconhecido, ou tenha desistido..."

-Eu sabia que eras tu! Não esperava nada encontrar-te, estas de volta ou estas de férias?

Estava de pé a olhá-la de alto a baixo, a analisar, pois tinham-se passado anos desde que aquela relação tinha terminado. Para si foi o fechar de um ciclo, mas para a outra pessoa não sabia, porque desde então todo o contacto foi cortado e colocado em privado. 

-Olá! Vim visitar umas pessoas. É bom ver-te. - sorri, apesar do gosto amargo era a verdade. Havia alturas que se perguntava como estaria, tal como tantas das outras amizades que foram ficando pelo tempo. 

-Posso sentar-me?

-Eu gostava de dizer que sim, e acredita que eu gostava de saber como estás e o que se tem passado nestes últimos anos. Mas é melhor não abrirmos essa porta e mantê-la fechada. Não é que ....

-Não precisas de dizer mais nada, eu compreendo e se calhar tens razão. Pessoas conhecidas, que partilharam uma história que foi fechada. Até uma próxima. 

29
Fev24

#2 para 12 meses de 2024

alma de bii yue

Coloque a sua personagem na cama a adormecer sozinho. Escreva cada pensamento que passa pela sua mente. 

...

Tapo o rosto com as mãos para esconder o quão corada estava, mesmo estando sozinha no quarto. Precisava de adormecer, mas aquelas memórias não me deixavam. 

 

Há umas horas atrás estava naquela praça quando a chuva começa a cair, colocando fim a três anos de seca naquele país construído no deserto. Com a derrota daquela tirania disfarçada de bondade, os efeitos dos seus poderes são destruídos. Naquele som das gotas a baterem no solo, todos os confrontos param e é quando a voz dela ecoa e alcança os corações de quem lutava e assim aquele pesadelo tinha finalmente acabado.

 

Estava a comemorar com o resto da tripulação, quando ela corre para mim e me envolve num abraço apertado. As gotas podiam ser frias, ao contrário dos nossos corpos envolvidos e a transbordar de emoção. Quando desfaço aquele abraço, os nossos olhares encontram-se e naquela fração de segundos, é quando sinto os lábios dela a tocarem nos meus. O meu coração começou a bater mais forte respondendo aquele beijo, tantas vezes pensado e desejado. Foram rápidos minutos que pareceram uma eternidade, não queria desprender-me dos seus lábios tão suaves, de parar de afogar os seus longos cabelos azuis, de acaraciar aquela pele tão macia.

 

Mas ela tinha que voltar. Para dizer a verdade as pessoas, para trazer-lhes a esperança que tudo tinha finalmente terminado, para voltar a ser a princesa que tinha desaparecido em prol do seu povo. Ela solta-me, e deixo-a escapar entre os dedos. Vê-la novamente sorrir e limpar as lágrimas de felicidade, era o que bastava para o meu coração naquele momento.

 

Viro-me na cama, agarro a almofada e solto um grito de felicidade. Todos os momentos que passamos, trouxeram-nos até ali e finalmente as emoções, mesmo que na adrenalina do momento, mostraram-se mais alto. E na minha mente passavam todos os momentos e gestos subtis que partilhamos.

 

25
Fev24

breathing into the feelings

alma de bii yue

wrapping up everything in a small box, trying to contain the anourmous volumn of emotions.

breathing deeply and let the body sink on the floor.

a different kind of numbness. soft on the mind but harsh on the body asking to go further.

more needs to be more. less needs to be felt but quickly closed back to that box that is a dark corner.

writting and writting non stop, so deep in the imagnation world. escaping so voraciously from reality. comforting and safe. escaping!

disassociate from the reality. feeling so misfit. alone in my own solitude. 

breathing the air of the reality and being invaded by everything and nothing.

craving the connection that I also put distance.

13
Fev24

parada no tempo...

alma de bii yue

A vida parece parada, mas fui eu que a fiz assim. Mais uma vez sinto-me abandonada, deixada no canto. Com todas estas emoções dentro de uma garrafa que esta demasiado cheia e prestes a arrebentar. E depois há os momentos de realização (que tem acontecido por ondas suaves), onde sou confrontada comigo mesma, com as partes obscuras, que são difíceis de engolir e tolerar.  

. )

Neste presente, vejo nitidamente a bolha que criei à minha volta. Esforços que ficarem pelo caminho, e a dor que isso traz, por culpas que são vagas, por feridas, por conforto. A criança ferida a enfrentar os cantos escuro nas minhas costas. Isso traz vagas de estar tudo à flor da pele, sem noção, sem medidas de controlar, sem energia suficiente para colocar as camadas que me fazem ser eu. Ao enfrentar as emoções com a coragem a tremer, a visão turva mostra as verdades do espelho.  

Vir a morder à língua, por ter ficado a navegar na maré, após tantas ondas terem sido batalhadas. Sei a energia que foi e é necessária, a evolução e coragem de estar para os dias. A critica constante a voz que não se cala, fazem com que nunca seja o suficiente. Em busca de um balanço que nunca é o suficiente, alimentando à voz, os monstros que não se escondem mais nos cantos.  

Enfrentar os sentimentos e as emoções dói. Trabalhar perante um oceano é esgotante. Necessário, mas dar os primeiros passos nem sempre é o mais difícil, mas sim continuar a colocar essa energia. A dificuldade de a mente querer encontrar aquele balanço que é imperfeito. Na constante busca de ser perfeita, mas sendo tao inerte à mim mesma e a um redor que é colorido mas coloquei à preto e branco. 

Ser afetada por outra parte da vida, por ser um mundo tão despido traz consigo à realidade e os esqueletos, e principalmente o mundo que esta por trás do que leva a gostos excêntricos. Uma visão tão crua e real, que transporta um espelho onde as feridas abertas e saradas são tocadas.

08
Fev24

A carta de despedida

One Piece - Zoro

alma de bii yue

Zoro One Piece GIF - Zoro One Piece Training GIFs

 

Precisava de eternizar o que não seria capaz de dizer sem as lágrimas caíram, sem ir contra o juramento que tinha jeito, de despedir-me do amor da minha vida.

 

Sentada no aquário a observar o que Ussop, Luffy e Chopper tinham pescado, perco-me no pensamentos e desconecto com a realidade. Felizmente já todos tinham ido para os seus aposentos, eu fiquei para trás com a desculpa de arrumar o espaço e estar com os horários trocados por ter passado as últimas noites de vigia.

Quando não conseguia dormir, era para ali que escapava. Dava-me um sensação de calma e esperança. O meu corpo estava carregado de adrenalina, a minha mente acelerada de emoções e a alma a processar e a preparar-se.

Pego no caderno que trazia sempre comigo e começo a escrever. Quando acabo, limpo as lágrimas e vou respirar o ar da noite. A lua estava cheia, o que me acalmava a minha alma assegurando-me que este era o meu destino, e o meu coração aos poucos ia agarrando-se a todas as memórias que tinha passado no Thousand Sunny.

 

 

Abro a porta do quarto e ele encontrava-se de costas. Tinha acabado de tomar banho, as gotas de água escorriam por aquele corpo musculado, deixando-o ainda mais desejável, como se isso ainda fosse possível. Ele era um sonho materializado na terra.

Quando ele nota a minha presença sorri levemente e vem até ao meu encontro dando-me um beijo suave. Antes que ele escapa-se, agarro-lhe nos cabelos e beijo-o intensamente. As nossas línguas envolvem-se em segundos, o desejo que sentimos nunca diminuiu, só aumentava com cada vez que nos entregávamos um ao outro.

 

Ele tira-me o vestido que vestia, para ficar surpreso por não vestir nada por baixo. O jogo de o provocar e ver a sua reação a tentar manter a postura, era algo que não resistia. Em segundos a sua postura transformava-se em querer-me carnalmente, com um olhar e o sorriso preservo que me deixava logo a escorrer de tesão.

 

A toalha que trazia enrolada no anca, que dava ainda mais enfase-se aquele v caí no chão e o membro não esconde a sua dureza. Ambos queríamos tornar-nos num só. Empurro-o para cama e logo me sento em cima dele. Sinto cada centímetro a preencher-me, enquanto os nossos olhares estão concentrados e perdidos na imensidão um do outro. Puxo-me para ele, passando as minhas unhas pelo tronco e beijando-lhe o pescoço. Sem piedade ele pega-me na ancas e faz com que vá ainda mais fundo e que a minha respiração se comece a tornar ofegante.

Quero senti-lo, mais fundo, com mais força. Os movimentos tornam-se ritmados e profundos, enquanto os nossos beijos nos deixam quase ar.

 

Ele dá uma palmada no rabo e com a outra mão vai passeando pelo corpo, beijando e apalpando os meus seios, até chegar ao meu pescoço e dar a pressão certa fazendo sussurrar o seu nome.

Rodando sobre mim, vai ainda mais fundo, e é impossível controlar aquele grito de sentir-me preenchida. O ritmo só aumenta, as minha unhas vão ficando cravadas pelo tronco e braços. Enquanto ele sem diminuir o ritmo, agarra-me no seio e com a outra mão masturba-me no clítoris que pedia por atenção de tão duro que se encontrava. Movimentos certeiros, gritos e ondas de orgasmos invadem o meu corpo.

 

Sem piedade, ele faz-me ficar de quatro, com o rabo empinando. Era impossível não o provocar naquela posição que me fazia sentir tão carnal e totalmente a disposição dele. As mãos passeiam pela minha vulva tão molhada que escorria, e ele fazia questão de me provocar com movimentos tão simples no clitóris mas que me faziam tremer na onda de adrenalina que ainda percorria o meu corpo. Ele volta a preencher-me, agora analmente, fazendo-me revirar os olhos de prazer. Aqueles centímetros que iam entrando e gradualmente aumentando de ritmo, deixavam-me num estado de êxtase descomunal. A olhar pelo canto do ombro, vejo a cara de sádico e do quão carnal ele também é.

Com os corpos já suados e sem diminuir o ritmo, sinto-o a crescer ainda mais dentro de mim. Ele puxa-me contra o tronco e sussurra-me algo que não consigo perceber mas facilmente imagino o que seja por ir direto ao meu clitóris e começar a estimulá-lo da maneira como entrava e saia dentro de mim. Não foi preciso muito para ambos chegarmos no auge e ficarmos a contemplar aquela sensação de paraíso na terra.

 

Caímos na cama, cobertos de suor e tesão que percorria os nossos corpos por ondas. Encaixo-me nele, com a cabeça no seu peito e uma da mãos pousada no seu coração. Enquanto sinto os dedos a navegarem pelo meu corpo.

 

Saio sorrateiramente da cama sem ser capaz de olhar para a tranquilidade com que ele dormia.

Pego na camisa branca dele vestindo-a e as minhas roupas espalhadas pelo quarto. Vou até a casa de banho arranjar-me e coloco a carta no lenço vermelho que ele as vezes gostava de me roubar e usar.

Faço-lhe uma carícia no cabelo despenteado e dou-lhe um beijo leve nos lábios, quando me estava para levantar ele puxa-me fazendo-me ficar enrolada nos seu braços e sussurra "amo-te". Prendo as lágrimas e sorrio, "eu também te amo rei do inferno". Tal como acordou, volta a adormecer.

Dou uma olhada a sua serenidade, ao seu corpo nu musculado e preenchido de cicatrizes, coberto pro um lençol e fecho a porta atrás de mim.

 

"

O amor é um sentimento complicado. É um sentimento que emana esperança sobre o mundo. É uma emoção tão forte e avassaladora. É capaz de mudar uma pessoa, e deixar marcas para a eternidade.

 

Foste conquistando-me com o teu lado misterioso. Sempre a manter a tua distancia, mas a permitindo que me fosse aproximando. Aos poucos as nossas companhias foram-se acostumando. As poucas palavras trocadas passaram a ser para conversas pela noite dentro durante as noites de vigia (mesmo que não fosse uma das nossas).

Perante a tua persistência, passei a juntar-me a alguns treinos. Manter a distancia e a relação exclusivamente de amizade já era complicado com a cumplicidade que foi crescendo, e mantinha-me refém de estar apenas a fazer companhia e precisar de apanhar um pouco de ar fresco ao ver-te de tronco nu.

 

Só essas memórias fazem o meu sangue ferver. Sentir a tesão acumular-se, querer sentir o teu corpo, cada centímetro. Entregar-me para que me levasses à loucura.

A tua teimosia era tanta quanta a imagem de mistério que passavas, e também fui fraca a esse ponto. Comecei a juntar-me aos teus treinos, com a tua ajuda, a sentir a tua pele na minha. A controlar a respiração e a saliva. A manter a mente no presente e não a deixar levar pelos pensamentos de como queria que me fodesses, que me comesses, que me fizesses apenas tua naquele momento, que me mostrasses o inferno que te virias a tornar sobre mim. Sei que o sentimento era reciproco, assim que percebias como o meu corpo reagia, não resistias a provocar, até onde eu seria capaz de manter a minha sanidade.

 

Era um jogo entre nós.

 

As pequenas insinuações de colocares o teu corpo mais colado ao meu.
Uma fraqueza humana que fui jogando em público. O teu embraço quebrava a imagem misteriosa. Pequenos toques, provocações com duplo sentido, roubar-te por um segundos e lançar à ti e sussurrar-te o que queria que me fizesses e desaparecer em segundos.

Era excitante, era a maneira como nos relacionávamos. Ambos queríamos, mas algo sempre nos impedia quando os nossos corpos ficavam colados e sentíamos a respiração um do outro.

 

Até ao dia em que  insónia tornou-se insuportável, o ambiente do aquário não era mais suficiente. Sabia que não era a tua noite de vigia, fui direta até ao teu quarto e antes que pudesse bater à porta, fui surpreendida por tu a abrires. Puxas-me para ti, envolvendo-me no teus braços e dizes-me: "por favor não consigo mais aguentar, preciso de te ter". Naquela noite os nossos corpos uniram-se num só. Aquele desejo que foi acumulando ao longo de semanas, irrompeu entre gemidos e gritos, mostrares-me a força bruta que superou as minhas fantasias. Cravei na minha memória cada parte tua, porque foi nessa intimidade que me mostraste o Roronoa Zolo que mais ninguém tinha sido capaz de conquistar.

 

Essa noite foi mágica. E a partir dessa noite que se tornou num dia sem sairmos do quarto, o meu desejo era ficar ao teu lado. As noites de vigia que começavam com conversas e acabavam com os corpos a suplicarem só por mais um orgasmo, as pausas durante as missões onde já todos nos colocavam de propósito na mesma equipa e parecíamos dois adolescentes com as hormonas a flor da pele, entre brincadeiras e beijos que acabavam por me deixares mostrar que também podia ser o inferno ou o céu na terra.

 

És a minha perdição! Ensinaste-me a amar, a sentir uma felicidade que não cabe no peito, a sentir-me especial e única.

 

E agora é hora desse amor ensinar a aguentar a saudade, a não perder a esperança. 

 

Os nossos destinos irão voltar a encontrar-se.

"

 

Tinha chegado à altura de me separar dos companheiros a quem passei chamar família, de me separar da pessoa que me fez amar mais do que a mim mesma, e seguir com o meu sonho.

Ser a pessoa que iria dizer a verdade ao mundo e deixar de viver nos bastidores.

02
Fev24

entrelaçada no caos

alma de bii yue

Linhas emaranhadas que cruzam e descruzam. É um labirinto sem início ou fim, definidos.

 

Mais uma vez a famosa pergunta do meu ser vem à tona. Quando é que me perdi em mesma? Continuo a agarrar na minha própria mão, mas o resto é areia que foi voando com o tempo. 
É como se a reposta estivesse na ponta da língua, mas não sou capaz de colocar em palavras, o corpo impede porque as circunstancias da vida fizeram com que me habitua-se e enfrentasse os problemas consoante essa altura. 

 

O tempo passado sozinha foi doloroso, contudo fui empurrada para o mundo e obrigada a crescer e a adaptar-me. Encontrei-me, mesmo perante aquele vazio no peito, pertencia e encaixava-me ao começar aquela família. Onde todos estavámos longe de casa e numa nova fase de vida. 

Dias que se tornaram meses a trabalhar em mim própria, a descobrir a minha melhor versão. Imenso tempo sozinha, perdida nos meus monstros e camadas. Ansiedades que se foram desenvolvendo e que perduram...

 

O que o meu coração mais desejava chegou! Novas ondulações começaram, desprender-me de uma versão que aprendeu a ser adulta consigo mesma e ao seu tempo, novos ambientes e uma distancia de uma realidade que não existe mais. Um recomeço, onde voltei a sentir-me completa. Pequenas gotas continuavam a cair e a perturbar o ambiente, mas tudo a habituação não é fácil e demora o seu tempo a instalar-se.

Tréguas vieram, e com isso novos caprichos também se foram instalando e revelando um lado dormente escondido da sociedade. Novas realidades, que também trouxeram e ainda trazem tantos questionamentos.

 

Uma constante busca, mesmo perante a agitação dos dias, que passam como um vento forte. Mas entre os opostos, sei que há uma parte de mim que foi sendo esquecida

Sinto falta de mim mesma. A solidão instala-se. O questionamento recomeça. 

 

E num estalar de dedos, posso encontrar-me no mais alto ou baixo humor, cometendo erros e re-entrar naquele labirinto que já se encontra tão emaranhado de linhas, onde o início e o fim estão perdidos.

 

A busca por balanço é a perdição em mim mesma, porque sou eu que me perco nas inúmeras camadas construídas e evoluídas com o passar do tempo...

31
Jan24

#1 para 12 meses de 2024

És uma de nós - Oneshot - One Piece

alma de bii yue

Escreve um pequeno diálogo entre dois personagens a cada duas linhas. Escreve o que eles realmente estão pensando em itálico entre cada linha do diálogo.

...

Era mais uma noite de vigia no Thousand Sunny. Não conseguia dormir, por isso fui ter com Zoro ao ninho do corvo para ter companhia e alguém com quem conversar. Continuava a debater-me sobre questões existenciais. Era a mais nova integrante do bando e isso deixava-me insegura. Ao comparar-me às ambições e sonhos deles, o meu não parecia assim tão grandioso. 

 

-Continuo sem entender o que queres dizer.  - Ele bebe mais um gole, enquanto sinto o seu olhar sobre mim.

-Deixa-me reformular. - passo a mão pelo cabelo para organizar os pensamentos - Tal como tens a ambição, também tens sonhos que o teu interior deseja. Podem ser complexos e a probabilidade de se tornarem realidade não é assim tão fácil, por isso podes é que me perco a escrever sobre eles. Traz-me conforto e uma felicidade no momento. 

"Juro que as vezes ter conversas profundas com alguém tão pratico, misterioso e distante era mais uma dor de cabeça do que algo agradável. Pelo menos tínhamos bebida."

-Seja ambição ou sonho, é o que se deseja, por isso é só trabalhar e ir atrás. Vão haver dificuldades, mas só assim se pode melhorar e lutar ainda mais. Continuo sem entender o que queres dizer... Tu é que te perdes nos pensamentos e depois a noção do tempo, acabando por só me dar mais trabalho - olho para ele incrédula e faço um som de frustrada com um suspiro - senão fosse eu, até te esquecias que és uma pessoa real e existe um mundo real.

-Porque o mundo real pode ser cruel e todos vocês tem as vossas ambições e eu continuo perdida sem saber como alcançar a minha. - roubo-lhe a garrafa e dou alguns golos. 

"Ela ficava tão fofa quando era contrariada. Podia inúmeras as vezes que a encontrei sem a mínima atenção ao redor e que a impedi de se magoar sem ela ter consciência. Mas dava-me um certo gosto protegê-la, tão delicada e sonhadora. Simplicidade, era o que mais me cativava nela."

-tsc, senão tivesses uma ambição o capitão não te teria convidado para navegares connosco. Como disse perdida no mundo da fantasia e não vês que esta tudo à tua frente. 

Ele puxa-me para ele e faz com que a minha cabeça fique apoiada no ombro dele. Ficamos um pouco em silêncio, e deixo-me relaxar conquistada pela presença e segurança que ele me transmitia. 

-Vais-me ficar a dever uma garrafa, mas vou voltar a lembrar-te do que disseste quando eu e o Luffy te salvamos. 

"Porque esta a menosprezar o teu sonho? Porque deixas que falem por ti, quando a tua voz pode ecoar tão alto, que me fez vir até ti! Para de ter pena e agarra-te à tua ambição.

Junta-te ao nosso grupo e vem escrever a nossa história. De como me tornei o rei dos piratas, de como encontramos o one piece, de como cada um realizou o seu sonho, de como sendo tão diferentes somos uma família.

És uma de nós!"

Time Flys Away ☽ ☾

prazer, entra neste cantinho virtual 💌

2E0A6715
biiyue
uso as palavras e imagens para me expressar. a jornada de desenvolvimento e cura pessoal é a luta e motivação para descobrir do que mais sou capaz.
põe-te confortável
se ressoar, sê bem-vind(o-a) e fica o tempo que precisares 🌟
🌈 💮 🦉
conhece o meu trabalho holístico
⬇️
blog:🌛 🌝 🌜

descobre-me

foto do autor

Parceria/Colaboração

contacto: helenabeatriz12@sapo.pt

baú de recordações

    1. 2024
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2023
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2022
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

you're doing great! ♥

vibes ✨

pesquisa e encontra

Instagram

youtube channel

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais de mim no mundo social

Eu Sou Membro
O melhor presente desta comunidade ♥

Em destaque no SAPO Blogs
pub