Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

because your smile make me live ♥

so strong, so broken

because your smile make me live ♥

so strong, so broken

24.Out.10

uma história para (não) adormecer

Peço desculpa por qualquer palavra que não encaixe na frase e não lhe dê o sentido que se devia perceber, mas não tenho o dom da palavra   x:

 

- Era um mundo encantado, havia um princepe encantado com o seu cavalo branco, a espera de ser descoberto pelo amor eterno da princesa, magia que se traduzia por pontinhos brilhantes, finais felizes, paisagens perfeitas, palavras perfeitas, ...

 

STOP!

Não passava tudo de uma ilusão, um mundo imaginário para esconder a verdadeira realidade.

 

 

A secundária muda as pessoas, dizem todos, e eu confirmo.

Graças a toda a protecção que me davam foram anos de penumbra, sem perceber os porquês, sem nunca viver o que é viver. Se dizia um “não” decisivo, não me contrariavam, ficou sempre esse espaço branco por agora viver as consequências que alteram a minha liberdade que sempre foi um dos maiores desejos.

 

- A princesa decidiu explorar o mundo para além das quatro paredes do seu perfeito castelo, fugindo para o mato. Aos poucos foi descobrindo quem realmente era e quem eram de verdade os seus amigos. Incondicionalmente para tudo. @

Passou a integrar-se nesse mundo novo, os porquês adquiriam respostas, passava de a arco-íris a preto-branco e assim sucessivamente.

Mas esse mundo tem armadilhas e ingénua como era fui apanhada em algumas, mas felizmente tinha lá os melhores sempre ao meu lado, prontos para tudo.

 

Poucos meses de uma ilusão que não levava a nada, por poucas vezes em contacto.

“Tanto foram usadas que perderam significado, tanto foram ditas que perderam sentimento.”

Never more!

“A minha felicidade perdeu-se no momento em que disse sim, pensava ir começar uma nova boa fase da minha vida, ir sentir-me concretizada, mas não passou de uma mera e triste ilusão.” Pelo simples facto de ter sido usada e mesmo no fim haver sempre um insecto a estragar-me a vida, odeio-te e nem isso é suficiente para descrever.

 

- Era diferente da vida no castelo, a cada esquina podia-se cair e a subida ainda era penosa por vezes. Mas valia a pena subir ao saber que me apoiavam mesmo fazendo asneira, atrás de asneiras. São tudo para mim é graças a eles que hoje sou o que sou  (L’

Podia estar aqui a mencionar os nomes, mas eles sabem, não precisam de meio de propagação!

 

“Tanto se fala como se grita, tanto se está contente como triste, tanto se vive como se quisesse voltar atrás no tempo. Num só dia inúmeras coisas acontecem que se perde noção do que realmente se passou.”

“Julgei que estava a conseguir e afinal não estou, invadem a minha cabeça e deixam-me sem saber o que pensar, preciso de mais daqueles momentos @”

 

Palavras que já foram escritas por estes ares e nem metade demonstram do que realmente está por detrás delas ...

Sempre existiu, mas renegado, não poderia ser aquilo, era amizade... Mas aqueles momentos não me saiam da cabeça, iam ficando cada vez com mais sentimento. Só percebia o que realmente queriam dizer quando já não estava com ele, já não podia dizer o que deveria ter sido dito muito mais cedo.

 

Caí na armadilha já muito pensada, um momento de fraqueza, o arrependimento é enorme e viver com ele as vezes não é fácil. Afastei o que o meu coração sempre desejou... Não me consigo deixar de culpar por isso e é aí o inicio!

 

- A princesa em desespero foge para o coração do mato e aí transforma-se, a pressão quebrou-a totalmente. Para além de a culpa ser a principal responsável, aqueles anos todos “em cativeiro” têm agora efeitos que mais ninguém tem aos 16 anos. Não há coragem para mudar directamente isso, existem outros caminhos, perigosos. É só preciso ser em q.b., deu gozo, o bichinho sempre existiu e o momento chegou. A dor não existe quando se está fechada num quarto escuro.

Sermões das pessoas que realmente se importam comigo, a ironia é a melhor arma contra isso. :b

Duas soluções, uma bate a outra não. As poucas palavras que me tocaram e fizeram começar a olhar por breves momentos com outros olhos.

 

“Não preciso de muito tempo da tua atenção, apenas algum. Não preciso que mudes, preciso que sintas o que é aqui demonstrado. Não preciso de pena, apenas de um pouco de compreensão.

Já são largos meses com momentos únicos que partilhamos, indescritíveis, onde sempre existiu algo. Presente, mas negado, escondido. Por timidez que fazia das suas.”

 

 

És muito mais importante do que alguma vez possas imaginar.

 

 

- Não existe um final concreto para esta princesa que no fundo é revoltada, talvez rebelde. Uma dor permanente que não sei combater sozinha.

10.Out.10

Todos os caminhos

vão dar a algum lugar  xD

Não sei se repararam, mas eu este fim de semana andava sempre a tweetar (a)

Well, fui passar o Sabado a Espanha e o Domingo de manhã à fronteira e a tarde à praia da barra.

Fiquei fascinada com Espanha, principalmente com a cidade de Vigo, é uma junção do antigo com o comércio moderno.

A sensação de estar com um pé em Portugal e outro em Espanha é um máximo! E a rede do telemóvel estar sempre a mudar, ou era “moviestar” ou “PT TMN”.  -.-‘

No ano passado quando fui almoçar ao inatel de Santa Maria da Feira não tinha ido ver a gruta artificial, mas este ano fui  :D

Parece mesmo real, têm espaços muito fofos  (a)  e foi nessa gruta que me tiraram uma foto que está uma moca! Uma certa pessoa tinha estado a comer peta zetas azuis, os meus lábios ficaram muito bonitos  x)  *a foto está no hi5

Tirando isso correu bem e o tempo esteve sempre quente, o que era bastante agradável, não ter que andar com o casaco.

A praia da barra estava cheia  :o    A primeira coisa que vejo quando lá chego é a bolacha americana que costumava comer na costa nova, naqueles tempos era uma bicha para se comer uma  xD  Prontos, lá fui eu pedinchar dinheiro aos meus pais, mas eles acabaram por ainda comer mais do eu  xb

 

 

Fez-me bem sair daqui, por breves momentos “esquecer” uma realidade e relembrar aqueles momentos que aparecem tipo flashback’s  @

A culpa é toda minha, sim! A razão de tudo ser e não ser. :x

 

 

 

Assim, que eu poder, vou tentar postar algumas fotos  (:

o photobucket está a insistir em não dar  -.-

 

 

 

Grutas Artificiais  :b

 

Não tenho a certeza se é a Galiza  :x

 

Mosteiro de Santiago de Compostela

 

Uma pessoa estátua que neste caso é o Santiaguinho *acho que é isso*

 

A estátua dos cavalos na cidade de Vigo  (:

 

O meu lindo casaco de cabedal  :b

Ah, sim, uma parte do grupo  x)

 


Amo esta foto! *uma das poucas que a minha tirou bem  xD *

 


Praia da barra ;)

olhem para as ondas, não para mim, por favor   x:

 

Naquele momento tinha os meus pés todos molhados de andar pela erva molhada  xD

Do outro lado é Espanha!

 

 

Aqui estam as fotos que prometi  ;)

05.Out.10

o que é sempre será

-“Não me vais matar?”

-“Não, fica a teu critério...”

 

 


 

 

Com frases da realidade se fazem histórias, e mais uma se esta a concretizar...

 

Nada havia senão de estranho, sempre foi assim e o seria, não havia nenhuma lenda de mudar o que já era desde o principio. Algo que parecia normal ao principio, no fim já não o era. Um lugar estranho para muitos, mas vulgar para outros.

 

Aulas, aulas e aulas, um dia resumia-se a isto, mas um dia normal de ano lectivo, se fosse um dia de férias de ano lectivo seria sol, sol e sol, mas nem tanto em excesso. Desde o inicio que se tinham tornado mais amigos, mas de uma forma estranha, ao contrário dos outros, raras eram as vezes de demonstração de carinho, e, quando raramente, aconteciam eram estranhas, como que com medo da coisa invisivel. Frases que se trocavam, com alguma mensagem mais profunda por trás destas, ou talvez uma simples diversão em fazer trocadilhos.

 

Não sei, não sei e não sei, as únicas palavras que bramiam do fundo da alma, tentando perceber aquele mundo, aquela estranha forma de viver. Havia algo mais para dizer, era sem um sentido aparente, mas que no fundo tinha razões para ser dito.

 

“És estranho”, palavras que acabaram por sair sem querer. Podem ter magoado, sossegado, ou inquietado, a única pergunta que se ponha era porquê. Porquê dizer aquilo senão seria para se dizer, muito menos quando não se sabia o verdadeiro significado do que se tinha dito.

 

Tais palavras foram como um rejuvesnecer daquela amizade. Aspectos que mudaram, mas o prinicpio manteve-se.

 

03.Out.10

olho pela janela

e a chuva com a ajuda do vento cai torrencialmente.

Formando uma espécie de camada de nevoeiro impenetravel por quem vê o cenário do lado de dentro.

No minuto seguinte, já tudo acalmou... A chuva cai devagar, as gotas vão escorrendo pela janela calmamente.

Mais um minuto e o vento volta em força, fazendo voltar o tal nevoeiro que parece ter saido das histórias de contos de fada.

Um nevoeiro penetrante e profundo.

 

 

Parece que o brilho se perdeu.

Dar um passo de cada vez a tentar descobrir qual a verdadeira razão desta terrível mudança.

Por mais que tente ir nas recordações, não consigo encontrar o momento certo.

Será que existiu mesmo?

ou

Os sentimentos que sempre se esconderam foram-se acumulando, chegando a um momento em que rebentam?

Talvez se conseguisse descobrir o inicio de tudo me fizese sentir melhor e voltar ao que era, mas essa ideia está cada vez mais longe.

Os filmes pararam, mas talvez isso seja uma morte certa de tudo o que eu sou.

Talvez até seja bom em certos sentidos, mas para uma novata é tirar o seu poder de imaginação.

 

 

 

 

Estou doente t.t

Para além de a alergia ter voltado em grande e não conseguir parar de me coçar e mal dormir pela pomada já não ter efeito nenhum, estou constipada e um bela inflamação na garganta.

É o que dá deixar os meus lindos lenços presos no armário quando pedem para os usar  xD 

A perguiça é lixada :)

 

Tem que se ir a escola e até está a ir mais ou menos (mas o meu estado nunca é lá dos melhores), mas os números declararam guerra comigo!  --'  Não consigo ir com aquilo por mais que olhe  :(