Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

because your smile make me live ♥

so strong, so broken

because your smile make me live ♥

so strong, so broken

18.Out.13

amargo limão

Desde pequena que nunca sonhei com o meu casamento, como os à minha volta falam, nunca fui muito do amor que contavam nos contos de fadas, apenas gostava de saber que terminava com um “e viveram felizes para sempre”, ponto, final da história. O que me fascinava era o drama das novelas e secretamente desejava que a minha vida tivesse mais emoção como o tão real faziam parecer por detrás daquela televisão. Não deveria ter desejado tanto isso, a vida veio a provar-se uma amarga lição, como a sensação quando fui obrigada a comer um limão numa praxe. Todos os músculos a “virarem a cara” aquela sabor que as pupilas gostativas captaram e o cérebro a fazer os possíveis para mentalizar o resto do corpo que aquilo no fundo não era assim tão amargo e tinha que comer até ao fim como o meu segundo seguinte depende-se disso.

No mundo da televisão parecia tão fácil sair do meio de um desastre, todos ajudavam e por fim deixava de doer como se uma fada madrinha tivesse agitado a sua varinha para aquela dor desaparecer. Era aquele retorno à vida que me fascinava, supostamente aquele sentimento de ter problemas num dia e no outro já estar tudo bem, sem ter deixado qualquer cicatriz. Era tudo tão simples mas era ficção, é amarga e deixa cicratizes umas mais profundas outras mais leves e não é por uma varinha mágica que passa mas sim por acreditar o amanhã pode ser melhor.

Às vezes é como se ainda vivesse nesse mundo e não acordasse para o mundo, vivendo conforme as novelas que via na televisão. Encarar a realidade é difícil porém há uma coisa que nem as novleas são capazes de demonstrar o quão forte é. O amor.

Todos anseiam por um final feliz, se isso acontece? Depende de como cada um interpreta o significado de tudo por que passou. Eu não quero um final feliz, mas sim um dia feliz. De toda a solidão foi o amor que me trouxe à realidade aquele amargo limão.

 

08.Out.13

i'm sick but

Hoje foi um daqueles dias em que já tinha tudo planeado, mas as pessoas à minha volta trocam-me os planos todos. 
Estou doente e exausta, mas foi um bom dia, onde um simples sorriso ao ouvir palavras do coração transformam todo o cansaço numa coisa boa. Sentimento de viver. 

08.Out.13

uma opinião sobre ...

Na quinta-feira passada aconteceu-me uma situação que me fez pensar sobre esta nova geração de adolescentes que esta para vir.

Ia muito bem a passar atrás de uma paragem de autocarros e vejo um rapaz (com o tal chamado “swag”, devia ser do 9º ano) a vir na minha direção de costas por estar a fugir de uma rapariga. Simplesmente o empurrei para a frente para não chocar contra mim e disse “tem cuidado oh puto” e continuei muito bem o meu caminho e oiço depois o grupo a dizer “ouviste o que aquela gaja disse” mas naquele tom de a gozar com o rapaz. Não foi esta situação que me perturbou porque é uma coisa perfeitamente normal, no meu tempo aconteciam as mesmas coisas.

Esta geração deixa-me desiludida, esta sem rumo, quase que diria perdida mas estou com esperança que com a idade venha a maturidade, a responsabilidade, o senso comum. Não vou generalizar, mas pelo que vê e se ouve há muitos que em casa não levam a educação adequada e não são as escolas que vão conseguir fazê-lo com as condições que o governo anda a impor-lhes. As escolas tentam mas os professores são humanos, não deuses e existem situações em que não há muito que se possa fazer. Porém não é essa a questão, é esta geração achar e pensar que já conhecem o mundo, que podem mandar nele, acharem-se superiores aos que não tem o “swag”. O que conhecem do mundo não é nada, são ainda uns “bebés” a tentarem já pensar como gente e acredito que se aparecessem certas situações em que não vissem nenhuma solução iam sentir-se impotentes, com o seu estilo e a sua maneira de agir a valer de nada. Os rapazes sem respeito pelas raparigas, as raparigas a vestirem-se só para as fotos, onde irá parar esta geração?

A situação do país também não ajuda porque os que têm “swag” tem que ter roupas de uma determinada marca para serem aceites na sua sociedade e os que não têm dinheiro? São postos de lado por se vestirem normalmente. Eu não conheço nenhuma situação mas tenho quase a certeza que devem existir pré-adolescentes que são vítimas desta nova moda e mentalidade e são obrigadas a ficar de parte porque os pais vivem em dificuldades, são obrigados a ver a quem antes chamavam amigos afastarem-se por agora estes serem aceites e eles não.

Não sou contra as novas modas, só estou a expressar a minha opinião. Há modas inofensivas mas há outras que afetam os que estam em redor e esta se calhar é uma dessas. Aos olhos destes o mundo é tão colorido e bonito e são os maiores mas são apenas crianças quem precisam de crescer e compreender que a vida custa a viver neste mundo.