Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

because your smile make me live ♥

so strong, so broken

because your smile make me live ♥

so strong, so broken

30.Set.16

Problemas de pessoas poupadas

Sempre fui ensinada a ser uma rapariga poupada, é um ensinamento que levo para a vida.

Mas para que é que estou mesmo a poupar? Quero convencer-me que é para alguma emergência, aquele concerto que espero à anos ou para quando for independente e tiver trabalho e precisar de um fundo para algo. Só que pelo que vejo da sociedade, assim que se arranja emprego nunca mais vai haver tempo para viver e a poupança vai continuar na gaveta até se ser velho edepois  já não haver vontade para o gastar. É preciso poupar, mas quando "parar" e decidir se é tempo para gastar, essa é a minha questão.

Vejo as pessoas à minha volta sempre a viajar e, algumas a conseguirem fazê-lo por uma pechincha. Enquanto que eu continuo a sonhar fazê-lo, a espera que a coragem apareça (e o dinheiro seja o suficiente para chegar a tudo). Sentada à frente de um ecrã a roer-me por dentro, a perguntar porque há pessoas com essa sorte e oportunidade de viver mais.

Porque não aproveitar este ano, que me vai obrigar-me a sair da zona de conforto e de re-descoberta, para tentar arriscar um pouco nos meus sonhos

Mas são tantas as questões... Por onde começar? Tenho a coragem? Será que não é preferivel continuar a poupar e esperar mais um tempo, até ter mais segurança em mim mesma?

Sinto a necessidade de saber que estou realmente a viver e não a desperdiçar a liberdade que ainda tenho, não quero continuar a sentir-me a ficar para trás nesta roda viva que o mundo se movimenta. 

Quando o ciúme bate à porta, é dificil ignorar e não sentir pena e raiva de nós próprios. Porque é que outros tem tais oportunidades e, neste caso, eu continuo com a sentir-me como se ainda tivesse algo a prender-me quando lutei tanto para possuir esta liberdade e ter as escolhas à minha frente....

 

29.Set.16

*aguenta coração

É outono, mas o calor de verão perdura. Sentada na meia lua, aparece a urgência de te ligar e pedir para irmos dar uma volta (nesse momento percebi o que a minha razão tem que fazer, mas o meu coração ainda esta demasiado fraco para continuar). Só que essa realidade já não existe, uma solidão afogou o meu espírito. Quero falar contigo, quero a tua companhia, mas não quero ser chata ou estar a insistir demais.

Ainda há tanto que quero fazer!, os pequenos momentos começam a pesar, as saudades começam a apertar. Não consigo não pensar futuro, para não pensar no presente que tanto dói. O que eu dava para o tempo passar mais rápido, para poder ir ter contigo.

É bom ter a minha liberdade outra vez, mas não sei dar lhe uso, quer dizer tenho os planos na minha cabeça, mas não me sinto preparada ou confortável na minha pele. Estou sozinha e quero viver, mas acabo por querer ficar em casa, à espera que possas falar.
Gostava de ter a coragem de sair à rua sozinha, saber lidar com esse sentimento. Gostava que fosse mais fácil acordar de manhã e não depender daquela conversa para me sentir um pouco melhor. Quero voltar a conseguir ter aquele sorriso puro e força, e não o sorriso por detrás de uma máscara que esconde tanto.

tumblr_npq1n8Jkvv1qg126no2_250.png

27.Set.16

hello darkness, my old friend

É ao escrever que lido com o que sinto! 

Sei que a escuridão tomou conta de mim, porque a pessoa instável que agora sou, não é o meu verdadeiro eu. 

Frustração, ciúmes, pavio curto, a constante ansiedade e nervosismo que tomam conta do meu corpo e me impedem de libertar e gritar. As lágrimas estão a uns segundos de começar a cair ao mínimo motivo, aquele choro que já não cabe mais no peito de tanto conter. Estou a deriva, perdida numa descida que parece não ter fim.

Nunca senti a escuridão tão intensa, completamente enraizado nos meus ossos, viva nas minhas emoções. Os pequenos momentos de luz e esperança são a benção que tenho na minha vida, que fazem-me perceber e encarar aos poucos a realidade.

A rotina mudou, mas a minha âncora continua a existir.

A coragem vai-se criando a cada dia, os sentimentos não desaparecem mas tenho que me obrigar a desviar-me deles, a máscara que já não usava há anos só pode ser usada até voltar a conseguir estabilidade, as memórias tem que aquecer o coração, o pensar no que não devo deve ser visto como aprendizagem, a rotina tem que ser abraçada uma vez que não é a minha zona de conforto.

Estou a dar esta semana a mim mesma, para perceber todas as emoções e sentimentos e como hei de lidar com eles. Não sei como me sentir, no fundo só me quero superar e não desiludir quem esta a acreditar em mim!

pls, grab my hand, attend my requests and keep being my light

 

25.Set.16

*amanhã já não há desculpas

Não queria sentir-se desta maneira, queria que a coragem e força não viessem por breves momentos

Estava tão aconchegada na nossa rotina, que agora sinto-me em queda livre. 

O tempo que surge é tão breve, dá para preencher um pouco do vazio só que as horas do dia são longas.

Nervos, ansiedade e choro, infelizmente têm sido os meus melhores amigos. Quero seguir com a minha vida, mas levantar da cama é um sacrificio que me leva grande parte das forças. Enganar o pensamento é o mais difícil, mas o mais urgente.

Os meus vicios já não me dizem nada, perdi o entusiasmo juntamente com a força. Desde que foste ainda não parei de escrever, não faz desaparecer, mas é a minha melhor forma de expressão, a minha maneira de chegar a ti. Tenho medos que a cada dia parecem crescer, pensar como é, é doloroso e faz-me entrar naquela queda livre infinita.

Por favor coração deixa-me também tentar viver!

Quero a nossa rotina de volta, quero conseguir encontrar o meu caminho nesta descida sem fim, quero saber lidar com o que sinto, quero que possa haver pequenos momentos.

Amanhã vou voltar à minha rotina, a realidade que antes de me sentir a cair parecia suportável, quero dar o meu melhor e mostrar que sou capaz, mas o coração sente-se fraco e distante para se conseguir agarrar. 

24.Set.16

*ciúmes

No meio de tantas emoções, uma delas era o ciúme.

São ciúmes, porque vais ter outras pessoas à tua volta a partilhar o dia contigo, que vão poder ouvir a tua voz, ver-te sorrir, simplesmente estar contigo. E eu fiquei agarrada à rotina, com pouca coragem e força para enfrentar mais um dia. 

O teu entusiamo e a tua voz sabem-me bem, mas faz-me perceber ainda mais a distância que nos separa e o quanto mudou.

São terríveis os sentimentos/emoções que atordoam a razão e que fazem o "voltar à vida" ser doloroso.

 

Empresta-me um pouco da tua coragem.

 

 

23.Set.16

*o começo

Começou...

Nunca imaginei que me iria sentir tão perdida e desamparada, sem ter forças para sair da cama, sem coragem para enfrentar o dia. Nem nos meus dias mais sombrios me senti assim, um vazio que consumiu à minha alma

O esforço para não imaginar como é a tua nova vida, deixa-me ainda pior, mas tenho que aprender à fazê-lo por mim, pela minha sanidade. Porque queria estar contigo, a viver uma nova aventura! 

Ainda estou completamente perdida, sinto medo por mim própria e onde isto me possa levar. Quero ser forte, mas perdi essa esperança que antes me rodeava.

As saudades começam a sentir-se, sinto um buraco no meu peito. Sinto como senão fosse capaz de aguentar! 

 

22.Set.16

*a despedida

You're gone

and

I stay

 

Vi-te ir embora.

Os minutos a seguir foram de total desespero, nunca o coração me doeu tanto. Senti-me a ficar sem chão, completamente abandonada no meio da noite.

Como é que era possível se ainda há uns minutos atrás estava abraçada a ti e tentar sorrir e não chorar com as últimas forças que me restavam. As tuas palavras ecoam na minha cabeça e que quero tanto conseguir agarrar-me a elas e não me deixar levar por este sentimento de desespero e vazio.

 

O que me vai na alma, era querer ter-te pedido para ficares.

20.Set.16

*amanhã

Amanhã é aquele temível dia. Parece que foi ontem que o verão começou, que a nossa rotina se uniu e a verdadeira essência das pessoas que somos floresceu. Os dias podiam ser sempre os mesmos, mas havia sempre algo a tornar o dia mais brilhante. Todos os sentimentos, emoções, conversas do desconhecido eram brincadeiras que se podia imaginar, mas agora já não

Chegou, quero fugir a este constante loop de sentir e de estar em piloto automático. Quero aproveitar as horas que faltam, mas pensar que mais umas horas e vou me sentir completamente sem chão é tão angustiante. Os minutos de vida vão continuar, mas quero que eles parem e façam de amanhã uma eternidade.

Quero ficar contigo, quero que me abraçes até parar de sentir, quero que me faças sorrir até as lágrimas secarem, quero pedir-te o que não posso. Não quero ficar "sozinha", não quero perder parte de mim. Sim, tenho bastante medo do que vai ser de mim, tenho coragem e força para aceitar a realidade, mas sou um coração mole que só sabe escrever para não desaparecer.

Como foi possível os dias terem passado tão rápido? Quando a aceitação começou a aparecer e a ignorar os bons e maus sentimentos/emoções, já estavamos em setembro e eu de volta à minha rotina sem ti... É uma nova realidade, dificil de engolir.

Vou sorrir porque quero que fiques com essa imagem na tua cabeça, mas também vou chorar porque a emoção é demais, por isso desculpa-me senão conseguir ser a pessoa forte que queria ser.

 

 

19.Set.16

*vazio

Ao acordar, naqueles primeiros segundos antes de sequer ter noção de que mais um dia estava a começar, um sentimento de vazio profundo apoderou-se de mim. Sem força ou vontade para ser capaz de sorrir ao mundo.

Aquele vazio que mais parecia um abismo que tinha consumido tudo o que me representa e tivesse deixado uma dor de saudade. O meu cérebro sabe que tem que viver e sobreviver, mas o coração tanto pode estar de acordo com isso ou a chorar e não saber como agir e apegar-se ao que não devia.

Queria poder estar na posição de pedir para ficares, sou um coração mole, mas é egoísmo. É mais uma daquelas pedras de sentimentos e emoções no caminho.

No meio de tanto sentimento, gostava de poder largar tudo e ter a mesma oportunidade de fugir. Não é essa a realidade e há que aceitar, porque é mais para quem vai do que para quem fica.

 

16.Set.16

*hug me

Sad songs on the radio

Travels and walks that feel nostalgic

Ours last days in town

Between whispers and cuddle

The feel is real

But the words spoken are too 

 

Pág. 1/2