Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

because your smile make me live ♥

so strong, so broken

because your smile make me live ♥

so strong, so broken

28.Dez.16

2016 a acabar, vamos reflectir

Com a chegada das épocas festivas, leva inevitavelmente aquele momento de reflexão e retrospecção mais profunda. "Ano novo, vida nova", é o lema tradicional, mas isto deve aplicar-se todos os dias! Não é só por o ano ir mudar, que a nossa vida vai "mesmo" mudar,  há decisões que têm que se fazer todos os dias e são essas que levam as mudanças para uma vida nova a cada dia novo. É óbvio, que com a pressão da sociedade há sempre aquela tendência a se querer fazer as resoluções e o que queremos mudar no próximo ano. Já fui assim, ainda era uma criança e deixava-me levar pelo que via e ouvia, mudar as atitudes no próximo ano, fazer mais exercício no próximo ano, estudar mais no próximo ano, ... só que à medida que fui crescendo e aprendo quem sou, aplico-o quando acho que é necessário! Especialmente este último ano, que fui crescendo e me obrigou a aplicar regras e objetivos a mim mesma para conseguir pelo menos sobreviver a assuntos que não podia simplesmente desistir.

Definitivamente que 2016 foi um ano de mudanças! Teve os seus momentos bons que estão guardados na memória, e também teve os seus momentos maus que me fizeram crescer e aprender.

Concluí o meu projecto final de curso, que me deu imensas dores de cabeça e stress, mas fez-me descobrir a área que realmente gosto! Tive o meu desfile académico como finalista e com isso levo todas as boas memórias das pessoas que me apoiaram a estiveram lá naquele momento marcante. Tive um verão que me aquece o coração e me traz boas recordações.

Devido as circunstâncias da vida, as pessoas que me ajudaram a descobrir quem realmente sou e fazer-me sentir que finalmente pertencia a um lugar, cada uma seguiu o seu caminho, porém continuarão para sempre na minha memória, independentemente do futuro. O meu namorado foi de erasmus e vai novamente no próximo ano e isso está a ser e continuará a ser o maior desafio. Porém com isto, fui obrigada a saber lidar comigo própria, e aprendi e vou ter que continuar. Perdi pessoas, mas ganhei o reconhecimento de quem não estava à espera e os meus sentimentos ficaram ainda mais claros.

Há muitas outros marcos, tanto bons como maus, mas estes foram os que mais definem a pessoa que sou neste momento! Estou orgulhosa de mim, de ter sobrevivido a estes últimos 3 meses que foram uma derradeira batalha física e mental, de apesar das pedras no caminho o que conquistei até agora pessoalmente, todo o trabalho árduo que espero vir a ser recompensado.

Com o novo ano vem um futuro que não é certo, mas tenho os meus objectivos e vou lutar por eles! Tenho imensos medos, principalmente por ir ter 6 meses longe da pessoa que mais falta me faz e dá a força necessária para não desistir. É verdade, que sobrevivi a estes 3 meses, mas foi uma batalha difícil e nem sei bem como consegui "vencer" e continuo abismada comigo própria.

 Porém ainda tenho muito mais para continuar a aprender e crescer com isso. Não sei o que o futuro me reserva, mas vou continuar a dar o meu melhor e melhorar sempre o que posso controlar sobre mim mesma. 

Because this is my life, I can do anything, I can be anything.

26.Dez.16

The fears

Am I strong enough? Because I'm feeling so small inside, this hole on chest that don't heal. I'm doing my best, but don't look enough to contagious the ambient around me. 

Finally face the fear of my problems, I feel lighter but don't make the things more simple, probably is the opposite. I just want to fix things and make people happy. I fuckep up, but I'm trying my best to keep my smile and still have the strenght to be there. To study, to enjoy the litlle moments, to dream, just keep going...

This moments of weakness make me doubt of myself. I'm still alive, but also with afraid. But who isn't?

 I will be okay! I hope!

25.Dez.16

Puss "in" Boots

Uma chamada de atenção, um presente agridoce. Perdida completamente nos meus mundos. Não é bonita a queda, mas é necessária para tomar consciência do que é preciso ser feito, do que é preciso mudar. 

Pensava que estava a lidar com as coisas da melhor maneira que conseguia, as mudanças foram complicadas, e sem a minha âncora acabei por me perder e andar novamente à deriva. 

Não é mais um questão de só sobreviver, mas aprender a viver e tomar consciência que é preciso ir à raiz da árvore da vida. 

Tenho estado a dar o meu melhor, preciso de chamadas de atenção, e vou continuar a fazê-lo! Por mim, pelas pessoas à minha volta e que me enchem o coração de alegria, pelo futuro tão incerto que quero "vencer".

 Definitivamente que o melhor presente é poder continuar ao teu lado e sorrir!

23.Dez.16

*e finalmente passaram 3 meses (2)

Ainda estou dominada por uma onda gigantesca de sentimentos, estou super feliz por estar novamente com ele, mas não consigo afastar a realidade que são só duas semanas, e sem descanso a seguir, vou ter piores dias do que a primeira vez e isso deixa-me completamente aterrorizada.

É tão bom sentir-me segura e em casa novamente, poder olhar para ele sem ser por fotos ou recordações, poder tocar-lhe e dar-lhe a mão e sentir novamente aquelas pessoas apaixonadas, poder beijá-lo e sentir as borboletas no estômago e querer mais e mais.

Ontem o dia foi passado, numa constante boa ansiedade, estava em pulgas e só queria que ele chegasse. Porém quando cheguei ao aereoporto e vejo que o voo atrasou, foi como uma faca de ansiedade que começou a percorrer o meu corpo, só pensava que depois para voltar para casa ia ser um filme e foi. Infelizmente esses sentimentos dominaram a viagem, precisava de chorar mas não queria porque ele devia ver a pessoa que também ansiava tanto por ver sorrir e não estar sempre a uns pensamentos/sentimentos de chorar. Devia ter sido mais forte, mas foi tão irreal até voltar ao conforto de casa, os momentos estavam de volta, mas parecia que estava na outra realidade.

Os pequenos momentos valem realmente ouro, abraçá-lo, beijá-lo, os pequenos carinhos, estou completamente apaixonada e é tão bom sentir-me amada.

22.Dez.16

*e finalmente passaram 3 meses (1)

Desde o início da semana que tenho noites mal dormidas, porque mal posso esperar para te ver, para estar novamente nos teus braços, para pode beijar-te e sentir que estas aqui e não a km de distância.

Estou excitada e ansiosa ao mesmo tempo, parece tão irreal que é real. Foram uns longos 90 dias, houve muitas lágrimas de saudades, uma enorme bagagem de emoções e sentimentos. Momentos de desespero, mas também momentos reconfortantes de quando tinhamos um tempo para nós. O que importa é que sobrevivemos e agora estamos a umas horas de chegar ao "fim". Houve alturas que mais parecia que não erámos namorados, porque a nossa sorte nem sempre era certa, mas continuámos com a amizade e mostrar que mesmo com vidas diferentes e separadas há coisas que permancem.

Infelizmente é pouco tempo, é assim a vida, mas vai ser das melhores sensações estar novamente contigo. As horas e minutos vão passando e já não sei como aguentar esta espera no meu corpo, nervosa, ansiosa, excitada, as borboletas no estômago andam numa volta infinita. 

Impacientemente à tua espera, só te quero ver chegar!

Ir ao teu encontro abraçar-te, beijar-te e tentar conter todas as emoções que borbulham dentro de mim.

20.Dez.16

reconhecimento de quem sou

No ambiente acolhedor do meu quarto, agora entendo o porquê de algumas coisas. Luz ténue, música calma, sossegada e nostalgica de fundo. Estou orgulhosa de mim! Estou continuamente a aprender e a crescer com isso, sou uma mulher que sabe o que quer e quem é, o quanto o meu coração é cheio pelas pessoas que me rodeiam e me fazem sorrir, o quão sonhadora sou, e é provável que seja por causa disso que continuo a lutar com a história que me acompanha. Vou continuar a ter desafios ao longo dos meus dias, mas neste momento reconheço a força que tenho e não importa as lágrimas, é um dia de cada vez...

É mais fácil ignorar e perder a noção do tempo, do que sentir quando é pesado. Quero voltar a repetir a experiência, fugir da realidade mesmo perdendo a noção do controle, porque apesar de agora estar super ansiosa e entusiasmada para estar contigo outra vez, vou precisar de esquecer que a distância vai voltar a existir. Tento refugiar-me no mundo de fantasia do anime, nas palavras que escrevo e nos sonhos acordados que levam a planos que quero concretizar. De alguma maneira ajuda-me a ter mais clareza, ter aquele controle que necessito quando as coisas, em certas alturas, parecem tão irreais. É verdade que já me habituei, mas continua a ser dificil lidar quando o meu consciente se lembra de ir pensar no quão diferente as realidades são. Não sei se irá se tornar mais fácil, mas sobrevivi até agora de alguma forma! Agarrada as tuas palavras, as memórias que me fazem sentir menos solitária, aos dias em que vou estar novamente contigo.

Espero conseguir a vir ser forte novamente por ti e por mim, como fui da última vez, não quero que te lembres de mim como uma chorona, quando estes 3 meses me ensinaram tanto e me viram crescer e transformar-me na adulta que vou ter que ser.

18.Dez.16

uma palavra, brownies

Por umas horas esquecer a nuvem, infelizmente muitas vezes negra, carregada de sentimentos e emoções. Ter entrado num estado zen e felicidade, completamente no meu mundo. 

Estava a precisar de fugir do mundo, das preocupações, dos sentimentos carregados de saudade. Sonhar acordada mas numa dimensão diferente, porém com a realidade a passar devagar. É incrível que mesmo assim, sempre estiveste no meu pensamento e foi bom porque é só uma questão de dias e isso ainda me deixava mais feliz naquela mistura de sensações. É estranho não ter o controle, mas simplesmente deixei-me ir e foi uma boa viagem.

15.Dez.16

Quando a dor da saudade é demais

Olho-me ao espelho e reparo que os olhos continuam vermelhos de tanto chorar. Odeio ver-me neste estado e sentir-me tão vulnerável, sem força, precisar de recorrer a ti porque não fui capaz de ser forte o suficiente. E a maneira como isso vai afetar o resto do dia quando já tinha planos que me estavam a entusiasmar, ainda acaba a ser mais frustrante.
Há que respirar fundo, distrair-me e pensar que já passou. Nada melhor que uma bebida quente, escrever e uma série para me ajudar a desligar do mundo. Foi só mais uma queda, apesar da minha aparência, não há tempo para desistir, a tão pouco tempo das aulas acabarem e especialmente de 3 meses de distância chegarem ao fim.

Amanhã o sol vai nascer outra vez...

 

14.Dez.16

Horas de solidão

Nas horas de solidão, a tentar ignorar o silêncio que quer gritar, a dor que quer tomar conta do meu coração, os vícios, resistir e mostrar a mim própria que sou capaz

Entre as músicas melancólicas que me fazem lembrar de ti, entre as palavras que escrevo para tentar aliviar esta saudade que transborda do coração, entre as lágrimas que querem aparecer, felizmente o dia esta a chegar ao fim

Engano-me, na esperança que amanhã seja melhor, esperando e esperando, agarrando-me as pequenas coisas que me fazem sentir que estou viva e tenho um futuro à minha frente. 

Acabo por ficar acordada até tarde, comigo própria. A noite é tentadora, mas também é a melhor companheira para a solidão, para esta nuvem que me faz sonhar acordada, para o choro silencioso em desespero de libertar a falta que sinto de me sentir confortável

Esperar, esperar, esperar e simplesmente aguentar, porque eu consigo e já não falta muito, só vai faltar depois o resto que ainda esta por vir.

Não há nenhum lugar para ir, a não ser nas memórias, nas fantasias do passado e futuro. Preciso de continuar a acreditar em mim, no que sinto, não no caos em que me encontro, porque não importa os momentos de solidão, quero acabar nos teus braços outra vez.

A escrita tem sido a melhor confidente e companheira, escrevo por mim, escrevo para ti, escrevo para nós.

11.Dez.16

*a espera dos poucos dias

Os dias de espera diminuem, mas infelizmente não tornam os sentimentos mais fáceis. Apenas os tornam mais fortes, com mais certezas da realidade que fomos obrigados, e ainda seremos obrigados a continuar, viver. As realidades são duras, para vidas tão diferentes, mas no fundo nem o são. São as nossas personalidades, as mudanças que tivemos de aprender a lidar. Continuo com medo do futuro, mas isso não me pode impedir de viver o presente e aproveitar os pequenos momentos, os pequenos prazeres destas felicidades que aparecem e desaparecem sem avisarem.

Tenho revivido as nossas memórias sem fim, olhando ao meu redor e vejo os sinais que foste deixando, sonhando acordada e a esperar impacientemente...

É excitante estas sensações, mas se me deixar levar pelo lado sentimental acabo a sentir todo aquele peso da nuvem negra, que tanto me esforço para pôr de lado e viver um dia de cada vez. És a minha realidade e vão ser dias loucos, mas são os pequenos momentos de prazer que me continuam a fazer sorrir para o dia da tua chegada. 

Há que pensar mais à frente, mas sou demasiado sonhadora. Esta espera com as borboletas no meu estômago, estas sensações de poder sentir o teu calor, estas dirtoções de realidade.

Estou completamente apaixonada por ti!

Pág. 1/2