Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

because your smile make me live ♥

forceful, trust, connected & discovering the wonders of the universe ✨

because your smile make me live ♥

forceful, trust, connected & discovering the wonders of the universe ✨

30
Abr20

Desafio dos pássaros - “E elas saltaram e saltaram, sem nunca mais parar."

alma de bii yue

Um sonho é ir a um parque de diversões, mais especificamente aqueles que tem os trampolins e as piscinas de bolas para gente graúda. 

Soltar a criança interior. Saltar e saltar sem nunca parar, quer dizer até o corpo se começar a queixar, descansar por um bocado e voltar a saltar e saltar. 

Sonhos de criança adulta destruídos. Isto era um plano prestes a concretizar, mas depois veio o distânciamento social sem fim... 

28
Abr20

A despedida

alma de bii yue

Quando ele foi embora, fui capaz de escrever logo a seguir sobre o momento. Mas quando foi a mim, não consegui. Era muita coisa para digerir, e agora têm-me vindo à memória esses momentos. Parece que já foi há imenso tempo, há 3 meses, mas com toda esta situação os dias são mais longos do que realmente são....

Despedir-me dos meus pais foi a primeira facada no coração, acho que eles aguentaram melhor as lágrimas do que eu. Na viagem para Aveiro, ia agarrada a fazer festinhas ao kokie, e numa tentativa escusada de segurar as lágrimas e com o pensamento que só ia ser pior no dia seguinte. 

Aquela noite pareceu como tantas outras, conversas longas no sofá, a rotina de ir para a cama, ele e o gato às turras, netflix. Incrivelmente adormeci rápido e passadas poucas horas o despertador toca. Arrumar o resto das coisas na mala, arranjar-me e despedir-me de uma casa, completamente abraçada ao kokie a conter as lágrimas e conseguir deixá-lo ir. 1 hora e meia depois estava no aeroporto, com o corpo a começar a tremer e já com um aperto enorme no peito. À entrada da segurança, abraçada a ele, por longos minutos, e sem coragem para o deixar ir, as palavras ainda ecoam na minha cabeça, os carinhos. Após algumas lágrimas, passo a segurança, eu do lado de dentro, ele do lado de fora, separados por um vidro. Até que ele tem que ir embora e aqueles últimos segundos ficaram gravados na minha memória.

Tinha que engolir as lágrimas, entrar em modo automático, e consegui até chegar à porta de embarque e tudo deixar de fazer sentido. A ansiedade começa a tomar conta, tremores, dificuldade em respirar, lágrimas que escorrem sem parar. O que estava a fazer? Largar tudo o que conhecia para trás. Ir sozinha numa aventura para outro país. Não era capaz, não estava pronta. Queira abortar missão, voltar atrás na decisão. Queria voltar para os braços dele, para a nossa casa. Estive bem perto de largar tudo, o meu corpo e coração pediam para desistir e a minha razão estava com enorme vontade de ceder. 

Tinha imensas saudades de andar de avião, mas não consegui aproveitar o lindo nascer do sol acima das nuvens. O meu corpo não parava de tremer, estava extremamente enjoada dos nervos e passei maior parte da viagem com os olhos fechados a tentar ficar meia adormecida. O avião aterrou, já não havia volta a dar. Tive sorte de ter quem me ajudasse no primeiro dia e com uma enorme paciência, porque não conseguia parar de chorar, o desespero de estar sozinha e comigo mesma gritavam bem alto, aqueles pensamentos: não sou capaz, quero e preciso de voltar, porque é que tomei aquela decisão, o que estou a fazer com a minha vida, continuavam bem presentes. Cansaço, medicamento e após muito choro, o corpo e mente adormecem.

Foi um dia longo, doloroso, passado em dois países, com imensas emoções à flor da pele, com muita lágrima e com um buraco enorme no lugar do coração. Aguentei, como conseguia naquele momento. Tentei ser o mais racional possível, mas sou uma pessoa emotiva. 

Custou terrivelmente, não dá para conter as lágrimas ao rever aquele dia. Custa cada dia que passa, com uma saudade pesada e uma vontade de voltar de voltar para ele. 

Só quero estar nos teus braços novamente.

23
Abr20

Desafio dos passáros - Cada um come onde quer e repete se quiser!

alma de bii yue

Os pássaros assim que aparecem os primeiros raios de sol começam logo a cantar. Sente-se a natureza no ar. Os dias são solarengos e longos, uma brisa para refrescar o dia. 

O gato fica todo o dia na janela a olhar para o vazio, a espera que um dos pássaros passeie ou pare nos ramos para começar a fazer aquele som estranho, mas adorável.

Mais uma bebida quente, seja café ou chá, ir até à janela e apreciar o mundo a decorrer. As poucas nuvens vão passando, os pássaros voam, o vento abana as folhas das árvores. Parar, respirar e apreciar o momento presente. 

A fome aparece, juntamente com desejos que não dão para negar. O gato também pede por comida e os pássaros juntam-se a espreitar pela janela. 

Uma tarde passada no comforto da casa, a relaxar, a aproveitar o tempo livre na companhia felina. Ele chega a casa, e tudo fica completo. Um cuddle a três no sofá, até ser hora de jantar.

Junto à janela esta o gato do lado de dentro, a gata dos vizinhos e uns pássaros a pousar perto do lado de fora

21
Abr20

Quando ciclos estão a chegar ao fim

alma de bii yue

Tomei consciência que a minha alma esta a pedir luto.

É muita emoção que o meu coração carrega. Numa roda de ganhos e lutos, fez-se o clique e tudo isto veio ao de cima, o lado sombra veio abraçar-me, parei para pensar no porquê de estar a sentir-me tão pesada... Tristeza, medo, nostalgia, saudade, frustração, concretização, orgulho, tranformação, despertar, amor.

Luto por o programa "este é o momento faz a tua prioridade" ter chegado ao fim. Luto por o programa "conecta-te ao amor" também estar a uma sessão de chegar ao fim. Luto pelas vidas que tive, a de portugal e de bruxelas antes da pandemia. Luto por não ir conseguir concretizar as viagens que tinha planeado e ir sentir-me a falhar. Luto por não me sentir produtiva e ter energia. Luto pela pessoa que era há um ano atrás, quando comecei a jornada de desenvolvimento pessoal, pela pessoa que era no início dos 2 programas. Luto pelas crenças limitadoras que consegui libertar, pelo desapego que fui praticando. Luto pelo tempo de medo e incógnita que estamos a viver. Luto por ter as almas que me fazem vibrar no amor estarem tão longe de mim. Luto pela incerteza do futuro. Luto pela dificuldade de ser adulto. Luto pelas crenças limitadoras e apego que ainda trago. Luto por nem sempre manter a rotina. Luto por haver dias em que estou completamente desconectada, especialmante em algo que sempre desejei desde o início. Luto por deixar-me levar pelas vibrações mais baixas. Luto por complicar o simples. Luto pelo peso que tudo isto traz para o meu corpo e o meu espírito. 

"Este é o momento faz de ti a tua prioridade" acompanhou-me no processo da mudança, já fazia parte da rotina às terças e domingos entrar no zoom e sentir aquele ambiente de partilha. Ajudou-me bastante, já não sou a pessoa que era, deu-me as ferramentas que precisava sempre no tempo certo. Hoje fui ver o caderno e fiquei tão orgulhosa e estupefacta por uma das crenças que tinha escrita já não existir! Desde pequena que sempre me via como uma pessoa de pequenos azares, e a verdade é que hoje em dia continuo a tê-los. Mas já não penso que são azares, são coisas que acontecem por alguma razão externa ou interna a mim. Não sei quando deixei de pensar assim, mas nunca mais tive esse pensamento. E isto é simplesmente lindo. Há muitas outras coisas que fui integrando e ver a evolução é extraordinário. Porque não é um caminho simples, exige trabalho, dedicação e amor. Foram meses, 8 módulos percorridos (espiritual, mental, físico, psicológico) sobre amor próprio, essência, espiritualidade, relações, propósito de vida, transpessoal. Sou imensamente grata pela oportunidade que apareceu à minha frente. 

"Conecta-te ao amor", veio fazer com que olha-se para mim de uma perspetiva externa e mais profunda. E apesar de só ainda ter trabalhado certos assuntos, os outros serão com o tempo, comecei a ver feridas que nem imaginava que tinha (nem tudo é só nosso), comecei a conectar-me verdadeiramente comigo a todos os níveis, comecei a despertar ainda mais como mulher e como ser de luz e sombra. Começar a tirar as camadas e ir ao fundo do que sou e o que trago inconscientemente e involuntariamente comigo e é assustador, é demasiado real, mas também é libertador e as mudanças vão acontecendo sem dar conta. Os nós começam a desfazer-se e  as coisas simplesmente acontecem. 

Sou imensamente grata pelas oportunidades que apareceram à minha frente, não só as que estão a acabar mas também as que estão a começar. É um investimento em mim, que não me arrependo porque trouxe tanta magia e descoberta para a minha vida.

Sentir o negativo é algo que o ser humano automaticamente quer ignorar, mas é tão importante e necessário como com o positivo. Faz parte do ciclo da vida, viveu-se e há que dar espaço e consolo a nós próprios para sentir. É pesado, é duro, é um luto. Estão a começar a fechar-se ciclos, para eventualmente outros se abrirem. Sentir e confiar, ouvir o coração e a intuição.

Mais uma vez tudo se encaixa com uma sintonia preciosa e graciosa. 

21
Abr20

Desafio 52 semanas - a 17

alma de bii yue

Semana 17: Personagens cuja vida eu gostaria de viver por um dia: (filmes, livros, séries, etc)

  • Pessoas famosas e ricas em geral, só para ter aquele gosto de como é viver com tudo feito e com dinheiro.
  • Pessoas que estão completas consigo mesmas e conseguem levar uma vida mais calma e "despreocupada", do género monges e não me lembro de mais nada, mas percebe-se a ideia.
  • Astrounauta.
  • Winnie the Pooh.
19
Abr20

Is it you?

alma de bii yue

Messy, it's all a big mess right now. My head is bombarded with thoughts, my body wants to stay still, my soul cannot react. Dark side rising, making me stay in my little world. Sadness, anger, insurgency, numbness, worthless, stillness. The heart is slightly broken, the body scattered, the soul crying in despair. 

Finding the balance is hard, catching the light is too exhausting, talk with the shadow is terrifying. Get used to it, but not get used to it. I know I must face it, but I feel small, without voice, without strength, without myself

How many years passed that I truly faced the shadows in the eyes, that felt that cold in my spine, that tasted the blood running down the body. At first, I didn't want to accept it, then I couldn't speak about it until I made up my peace with it. But it's a part of me that I always put aside, that I preferred to ignore, instead of taking over and finding out how could help me.

So much easier to accept the light, than the darkness. Let me talk to you, but know that I'm fucking scared holding to so many feelings and memories. So fluid in the movements of my body, in contact with one of my true natures, enjoying the beauty and silence of the night. This power, this claw of being a woman, the secret side, all the crows, it was you all the time.

Namaste.

18
Abr20

De mãos dadas

alma de bii yue

A nostalgia e saudade são constantes nos dias de hoje. A memória teima em ir buscar pedaços do que conforta o coração, mas também o sabe deixar bem pequenino.

É uma vida que parece tão distante, mas foi a qual onde me senti mais realizada. É um sentimento muito estranho, tudo o que vivi parece que já foi há bastante tempo atrás. Sabe bem ir ver as fotos, trazer à memória momentos marcantes, aconchegar o espírito e deixar as emoções fluir. Parece palpável, mas está tão longe...

Sinto-me deslocada, entre duas vidas, entre dois mundos. É uma saudade enorme, memórias que fluem naturalmente e constantemente, cria uma nostalgia. As saudades de tudo, tuas, do gato, da família, dos amigos, do nascer do sol, da rotina na nossa casa, de ser dona de casa, de ter a minha liberdade dentro de casa, de ter o carro e simplesmente ir, dos fins de semana de passeio, das tardes passada no sofá, dos pequenos gestos ao inicio e final do dia, de ir para a natureza, de ir ver o mar. 

Porque toda esta incerteza, toda esta obrigação de ter que me mentalizar que só vou voltar a abraçar as pessoas quando regressar à Portugal, cria este gap entre estas duas vidas. A do passado e a do presente. É estranho, é frustrante, é doloroso, mas talvez faça parte. Porque ao fim de dias passados fechada em casa, mais propriamente um quarto, com a mesma rotina e lutar contra os demónios que teimam em voltar, a balançar o lado negro com o lado da luz, tudo vem ao de cima. 

A minha essência mantêm-se, continuo a ser a mesma pessoa mas já não sou a mesma. Tenho vindo a crescer e a cada dia que passa há sempre algo novo para tomar consciência, que aprendo, que sei que tenho que lidar, insights de qual é o caminho a seguir. 

Sei que esta discrepância é para me ensinar. Não é fácil lidar com a saudade e este sentimento de nostalgia. Da vida que vivia com a vida que vivo agora. O quanto mudou em todos os níveis, o quão distante parece e a fugir por entre os dedos. Abre e reabre feridas, nesta altura onde o tempo perdura e obriga a lidar com o que é necessário e o que vai surgindo.

16
Abr20

3/1

alma de bii yue

Sicronicidade do universo no seu melhor! Será também um pouco de ironia?

90 dias em bruxelas e 30 dias de quarentena. 

Estou a meio de uma aventura que acabou por ficar estagnada. Os dias são solarentos com a temperatura ideal para ir explorar, mas isso não é mais possível e infelizmente não existe uma data quando poderá voltar a ser. Viagens que ficaram em stand-by, mas continuo com esperança que consiga vir a risca-las da lista. Teletrabalho, ficar dentro de quatro paredes dias e dias à fio. Sair para ir às compras, lavar roupa e passeios rápidos quando não dá para mais conviver comigo mesma tanto tempo no mesmo espaço. Saudades que aumentaram exponencialmente por as viagens terem sido canceladas.

Passou rápido, mas também parece que já é imenso tempo. Sinto-me bem nesta cidade, como se já cá estivesse estado. É algo novo, mas não o é. Tem sido mágico, com sinais, sicronicidades, aprendizagens e ensinamentos. Um despertar poderoso e trabalho contínuo.

E agora vejo-me numa das situações que mais tinha medo, ficar sozinha, isolada. Deparo-me a ocupar o meu tempo com hábitos, pelos quais ganhei imenso gosto praticar, mas também aprendi a respeitar e ouvir o meu corpo e  no fim descansar. Sou obrigada a lidar comigo mesma e ainda estou à procura do equilíbrio. Ir às minhas profundezas, agarrar em toda a força e coragem, todos os ensinamentos e hábitos que mudaram o meu mundo, amparar-me nas expectativas.

É o meio. É preciso paciência. É preciso esperança. É preciso serenidade. É preciso coragem.

15
Abr20

Desafio dos passáros - Atualizem-se, por favor!

alma de bii yue

O mundo esta a mudar, é bastante visível. Mas e o teu mundo interior também esta a mudar? Ou estas a lutar contra essa mudança e a querer ficar estagnado? Estas a conseguir encontrar o equilíbrio? 

Vamos atualizarmos-nos e ser realistas! Não é uma maratona de produtividade, longe disso, porque cada indivíduo tem à sua maneira de digerir. Esta tudo bem, senão tens a energia ou coragem para encarar os dias que se tornaram monótonos, onde a incerteza e medo prevalecem, onde finalmente chegou mais um dia e passou mais um dia. Esta tudo bem, se tens a energia e entusiasmo para aproveitar o tempo livre para aprender, praticar exercício, dedicares-te à ti próprio e ao que gostas, puxares pela criatividade.

Não esta tudo bem, não vai ficar tudo bem. Existe a esperança no contrário dessas palavras, isso sim. E é esse sentimento que têm que se trazer no coração

Tens a escolha se te queres actualizar ou não. Tens o poder de mudar o teu mundo e consequentemente irás transmitir para o mundo externo. Tens a decisão no que queres fazer. Tens a liberdade de te sentires melhor ou pior ou nem sequer sentires. Atualiza-te no sentido que é tudo válido e esta tudo bem com a maneira que estas a reagir e a sentir.

E agora?! ♥

Pág. 1/2

prazer, entra neste cantinho virtual 💌

2E0A6715
biiyue, sou uma adulta a descobrir como viver a vida.
uso as palavras e imagens para me expressar. a jornada de desenvolvimento e cura pessoal é o que me faz lutar para descobrir do que mais sou capaz.
vai buscar chá ou café, põe-te confortável
se ressoar, sê bem-vind(o-a) e fica o tempo que precisares 🌟

descobre-me

foto do autor

Parceria/Colaboração

contacto: helenabeatriz12@sapo.pt

baú de recordações

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

you're doing great! ♥

vibes ✨

pesquisa e encontra

Instagram

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais de mim no mundo social


Follow