Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

because your smile make me live ♥

so strong, so broken

because your smile make me live ♥

so strong, so broken

08
Fev19

um bloco sai do sitio e os outros acabam por cair todos

bii yue

Quando finalmente podia ficar a dormir até tarde durante os dias de descanso, o meu corpo decidiu que isso não iria acontecer, que iria acordar com ele e não voltar a adormecer. Pensava que ao menos iria conseguir ser bastante produtiva, mas só aconteceu no primeiro dia porque ainda estava com imensa energia e esteve bom tempo para ficar a apreciá-lo. Nos seguintes entrei em modo a morrer aos bocados pelo quarto, a tentar ser minimamente produtiva e fazer o que tinha para fazer. 

E para pôr a cereja no topo do bolo, as hormonas começam a atacar fora de horas e começa a afetar-me mais do me deixo ter noção. E a partir daí tudo começa a descarrilar... Hormonas misturadas com sensibilidade, dores, acne, e infelizmente isso afeta o mental de uma mulher. Parece que me transformo numa outra pessoa, que deixa de ser empatica, que só sabe estar revoltava sem ter razão, mas logo a seguir quer ter uma crise de choro porque sabe que não é ela, mas não se consegue controlar. 

Eu juro que dou o meu melhor a ser compreensiva e tenho noção das coisas, infelizmente sou bastante needy mas habituei-me a tirar do pouco, e esta a acontecer novamente, a pilula a transformar-me numa pessoa que não sou, a levar-me ao limite.

Não gosto de ter discussões, não gosto de ter que ser chamada à terra, especialmente por ser daqueles situações que são acumulações de outros dias, do stress, cansaço e não propriamente da situação em si. Não gosto de sentir que estou a perder o controlo de mim própria. Não gosto de me sentir no limite e não saber para que lado me virar.

05
Fev19

ao fim de anos, finalmente as mini férias de verdade

bii yue

Doby is a free elf, at least until Monday!

Apresentação feita e um peso tirado dos meus ombros. Acho que consegui impressionar e começar a mostrar a pessoa esforçada que sou e a partir daqui só quero melhorar. A minha escolha de fazer em inglês foi bastante apreciada, e apesar de ter havido certas perguntas que falhei um pouco ao lado, não é nada que com a parte de "meter as mãos na massa" consiga melhorar, entender e da próxima estar completamente preparada e dentro do assunto

Fui desleixada da primeira, mas não voltará a acontecer, não só porque tenho objectivos mas porque também quero provar as pessoas que têm a ideia errada e sou trabalhadora e quando começo com a parte prática, estou a ser o ratinho de laboratório que tanto gosto me dá.

É a primeira vez desde que comecei a universidade que tenho férias!, sem ter que ir a recursos e não só aqueles dias entre o fim da época de recurso e o início do 2º semestre porque não tarda começavam novamente as aulas e o cérebro não tinha tempo para realmente descansar. Desta vez é diferente, não vou ter aulas obrigatórias para concluir o meu curso porque isso felizmente já esta concluído. Por isso posso descansar minimamente o meu cérebro e corpo, recarregar energias e preparar-me para a fase mais dura e stressante da vida de um estudante, o terror da tese, o sofrimento de escrever a dissertação. 

Passei à tarde a aproveitar o sol na minha pele, a fazer o registo de fotos que tanto prazer me dá, a simplesmente saborear o presente e o lugar onde me encontro na minha vida.

01
Fev19

Compreensão

bii yue

Respira, para por uns segundos e pensa racionalmente.

É um novo capítulo e ambos estão em diferentes fases.

Já aconteceu, mas naquela altura era eu estava que estava no patamar de cima e agora é o contrário. Por esse facto consigo perceber o lado dele, mas por mais que eu tente alinhar no pensamento dada a minha situação no momento é me impossível conseguir fazer planos tão no futuro. Aprendi a viver no presente, porque o meu futuro é tão incerto e inconstante e viver dessa forma só me trazia ansiedade desnecessária. Não preciso de estar a fazer planos a tão grande prazo, a criar medos e inseguranças desnecessárias quando neste momento o presente está atribulado e o meu futuro é um ponto de interrogação.

Continuo a gostar imenso de falar sobre o futuro e estou aberta as opções dele. No entanto tenho os meus próprios objectivos e preferia ficar longe de um sítio que me limita e me faz sentir sufocada. A minha opinião pode mudar, por vir a crescer e criar mais maturidade ou então por ser simplesmente obrigada por circunstâncias da vida e ter que me adaptar. Não é um não, apenas é o que sinto no momento porque estou bem no lugar onde estou, tenho a minha liberdade e independência, tenho locais onde posso ir, descontrair e passar um bom tempo. 

Há alturas em que é um pouco cansativo. Eu percebo completamente o entusiasmo e a necessidade de ter que se fazer planos para o futuro, é um patamar superior, é a vida que me espera e eu tento pôr-me a pensar desse modo... Nem sempre consigo, estou focada em coisas diferentes, a aproveitar enquanto tenho espaço para respirar e viver sem horários.

Mas tal como a minha opinião pode mudar, a dele também poderá mudar. É o futuro, não se pode adivinhar o que irá acontecer, apenas se pode supor e pôr as nossas vontades e forças nisso. Porque o presente é que faz a vida acontecer e pode ser surpreendernos como ser imprevisível. 

28
Jan19

19 para 2019

bii yue

Nunca é tarde demais e ainda estamos em Janeiro, por isso aqui vai o desafio de 19 para 2019.

Já algumas vezes falei por aqui dos meus objectivos e da bucket list, mas nunca os escrevi por isso aqui vai:

  1. Ir viver com o meu namorado ✓
  2. Fazer mais furos/piercings na orelha ✓
  3. Terminar a pós-graduação ✓
  4. Sobreviver à tese e concluir ao mestrado
  5. Ter um gato
  6. Recomeçar e acabar de ler o livro que comprei totalmente em inglês há já quase um ano
  7. Passar um fim de semana romântico em Portugal ou fora do país 
  8. Experimentar paddle
  9. Experiência de massagem profissional
  10. Não stressar tanto sobre coisas que não valem a pena o esforço ou que não podem ser controladas
  11. Publicar mais um artigo 
  12. Retornar ao blog e organizar o meu tempo para conseguir ser mais ativa
  13. Voltar ao hobbie de fotos artísticas ✓
  14. Melhorar a alimentação, tentar comer mais frutas para compensar os vegetais que ainda é uma missão bastante complicada
  15. Beber mais água e ficar com esse hábito
  16. Viajar sozinha
  17. Fazer uma roadtrip
  18. Viver de maneira mais simples, descontraída, aproveitar cada momento
  19. Ser feliz

26
Jan19

injustiça no mundo acadêmico

bii yue

Numa questão de minutos toda a minha confiança e valorização pessoal foi arrasada e depois arrastada por um caminho íngreme e rochoso durante vários dias. Talvez por experiência e ter crescido no sentido de conseguir ter um controlo razoável, fui capaz de aguentar o choro até chegar a casa, engolir o orgulho, ficar no meu cantinho com um único desejo de sair daquele gabinete e bater com a porta. Apenas ficar ali sentada a olhar para um vazio das caras dos orientadores, a ser desacreditada a cada palavra dita ao tentar ter alguma defesa própria, a ser chamada de nomes com um palavreado cuidado, a ser rebaixada porque eu não valho ou importo, porque o que é mais importante é os superiores não passarem vergonhas por o trabalho de um estudante que esta a aprender. Nos seus pensamentos, naquele momento, um aluno não esta a aprender, um aluno já sabe tudo, tem que estar tudo impecável e ter o dom de ler os pensamentos e acertar no que querem.

É verdade que me desleixei, especialmente porque fui eu que me diregi a eles e tive tempo suficiente, eu admito que foi uma enorme falha da minha parte. No entanto nada justifica a maneira como fui tratada, ter ultimatos de não me deixarem entregar porque não querem passar vergonhas. Uma apresentação e entrega de documentos que não irá contar para avaliação, que é apenas treino com uma nota insignificante, mas segundo eles existe bastante formalidade envolvida por isso a nota irá ter um peso na etapa final. Isto é mais importante para eles, porque não querem passar vergonhas!, do que para mim, que sou e estudante e só a realizar as coisas é que sou capaz de melhorar as minhas falhas e progredir. O pior é que este tratamento de ser burra e incompetente prolongou-se durante a semana inteira, até chegar ao ponto de ter as palavras que ninguém quer ler, para decidir fazer como quiser... Não posso perder tempo ou dinheiro, prefiro passar mais uma vergonha e levar novamente com comentários duros, porque apesar da situação eu sei o que valho e as minhas capacidades, porque é tudo um processo de aprendizagem!, e no final irei mostrar o meu verdadeiro potencial.

Eu tenho perfeita noção que o meu trabalho não esta perfeito, que desleixei-me quando houve tempo, mas esforcei-me bastante. A orientação que recebi também não foi a melhor, porque é um tema bastante abrangente e cada autor interpreta à sua maneira, tal como os meus orientadores, e só quase no final do prazo é que afunilam o tema quando deveria ter sido desde o início, porque eu perdi-me completamente pelo meio e deu bastante mal resultado. No entanto, dei o meu melhor no tempo disponível e com as minhas competências no momento. É óbvio que quero melhorar e mostrar que não sou nada do que pensam, que sou competente e trabalhadora, especialmente na parte laboratorial e melhorar a parte escrita para ir de acordo a exigência pedida.

Continuo a sentir-me completamente arrasada, a confiança e orgulho que tinha em mim própria foram partidos em pequenos pedaços afiados que à lembrança dos acontecimentos que arranham e abrem ainda mais a ferida. O pensamento que irei ter que lidar com pessoas que pensam terrivelmente mal de mim e provavelmente já nem me querem orientar, mas são obrigados e irão continuar a descarregar as suas frustrações numa pessoa sem qualquer culpa deixa-me completamente assustada e apavorada. Terei que ser corajosa, engolir o orgulho e levantar a cabeça com aquele sorriso tão bem conhecido, que tantos sentimentos e emoções carregada. Porque eu não sou assim, o que mais tenho feito tem sido lutar pelo meu futuro e ser a melhor pessoas que consigo ser, ao estar a querer desenvolver as minhas capacidades e continuar a e evoluir com o que o dia-a-dia e o destino me reservam. No entanto, nunca me senti tão desamparada e a temer pelo meu futuro!

21
Jan19

acordar cedo de insónias

bii yue

O meu interior grita para o meu cérebro se desligar, para conseguir voltar a adormecer. É mais uma noite de insónias e a minha mente não para de pensar. O meu corpo esta tão confortável embrulhado nos lençóis ainda quentes da tua presença, mas já não estas aqui para me puder enroscar. Bata-lho contra os pensamentos e preocupações e viro-me mais uma vez na esperança que o conforto e o corpo ainda a dormir vençam. Mas parece que não vai acontecer...

É mais um dia, mais uma semana. Ainda é estranho acordar contigo e ir ter uma rotina completamente diferente. Já me habituei, mas não me habituei. Gosto da tua presença, o conforto e segurança que me dás. Acalmas esta ansiedade que esta constantemente à espreita.

É uma ansiedade que se entrenha e não deslarga o meu corpo. Esta sempre à espreita e basta perder um pouco o controlo que é capaz de se instalar para ficar. Faz-me perder a motivação e ficar num estado latente, simplesmente a ver o tempo passar. Tenho objectivos, tenho uma vida em que tenho que agir como adulta, mas tenho um medo cego que me paraliza, que não me deixa agir.

É frustrante, porque são só hormonas, é só a minha mente a brincar com ela própria. Sou eu que tenho o controlo, mas é uma força mais forte que eu em certas ocasiões. O meu corpo quer agir e mexer-se, aproveitar mais um dia para ser produtiva enquanto existe tempo, mas a minha mente não deixa. Faz-me ficar a olhar, à espera que ganhe coragem e enquanto ela não chega, o tempo vai passando. 

E assim passa mais um dia, em que fiz algo mas ao mesmo tempo não fiz. Tento ir contra esta ansiedade e falta de motivação para fazer o que gosto, há dias melhores e outros nem tanto. Foco a minha mente e corpo nos objetivos e não deixo a esperença desvanecer-se. Esta não sou eu, tenho perfeita noção, só que nem sempre é fácil lutar contra o nosso inconsciente. 

Fico a espera que chegues à casa para te abraçar, que me voltes a dar aquele conforto necessário para conseguir voltar a ser eu. A pessoa que esta sempre com um sorriso na cara, que é capaz de esconder e controlar a ansiedade, manter-se focada a lutar pelos objectivos e continuar a ser aquele coração mole.

18
Jan19

Vida a dois

bii yue

E estamos a viver juntos. 

Por diversas vezes quis que já tivesse acontecido, só que algo acontecia e mostrava que ainda não era a altura certa, que tudo iria ser o seu tempo. Aconteceu agora e tem sido o começo de uma nova aventura. Estou feliz com a decisão, era o mais acertado a fazer na situação em que nos encontramos, porque se continuassemos a viver separados iria ser extremamente complicado conciliar horários e lidar com a distância e o que isso iria implicar. É uma vida a dois e ambos os lados estão a fazer esforços e a ceder em algo, mas acho que é assim que as coisas funcionam.

No entanto, no início não foi um mar de rosas! Apesar de estar certa que era isto que queria já há bastante tempo, a mudança foi stressante, houve choques de personalidades e muitas emoções à mistura. Estava bastante habituada ao meu quarto, ao meu espaço e a minha relação com a novata é fantástica porque temos imensa coisa em comum, e por isso nunca faltava assunto e era tão bom ao fim de 6 anos finalmente viver numa casa onde criei uma amizade e havia refeições que não eram no meu quarto sozinha. Isso custou-me, porque apesar de não gostar daquela casa pelas outras raparigas, tentei fazer-lhe passar uma boa experiência de estar a viver longe de casa e apoiá-la no 1º semestre que é sempre tudo tão novo e uma pessoa sente-se desamparada. Era assustador, o que sempre quis estava ali à minha frente e ao mesmo tempo estava a sentir tanto que as coisas acabaram por sair fora do meu controle e parecia um desastre. 

Os dias foram passando, começamos a ajustar-nos um ao outro, ajustar rotinas e encontrar o nosso ritmo. É real, o que sempre quis, finalmente estou a começar a vivê-lo e estou feliz, porque ao fim de tanto tempo, tanta história, tantas lágrimas derramadas, suportar aqueles apertos no coração e uma dor que ainda magoa quando me lembro de quando estivemos um ano à distância, vale a pena. Ter aquele conforto e abraço ao fim do dia, acordar e puder enroscar-me, realizar o que fantasiava na minha cabeça, olhar e apenas aproveitar aquele sentimento de conforto e segurança, são das melhores sensações. 

Os pequenos gestos continuam a significar, ficam cravados na memória e enchem o coração.

01
Jan19

Olá 2019

bii yue

sê bem vindo.

No entanto estou assustada contigo, é um ano de mudanças, constantes provas e um futuro incerto. Sinto-me completamente emaranhada nos fios da ansiedade, quero respirar e por estas ânsias de lado para me conseguir focar no presente e aproveitá-lo, mas só sinto as lágrimas no canto do olho. 

As mudanças já começaram e é o que eu sempre quis, mas agora que chegou estou aterrorizada. As coisas não começaram com o pé direito, mas são obstáculos que se aprendem a superar. Sou perfecionista, habituada a ter as coisas à minha maneira, o meu espaço apesar de não gostar de estar sozinha. Tenho objectivos para este ano e vou lutar por eles!

Tenho noção que é só a ansiedade e a minha saúde que continua sem resposta, a mexerem comigo. Sei que sou capaz e é apenas mais um dia mau, em que a ansiedade e as crises de dores vencem. Eu sou capaz de controlar, só tenho que voltar a encontrar o meu lugar confortável.

O que peço para este ano é que haja saúde, paciência, perseverança. Que continue a haver amor e coragem para olhar em frente. Irão haver obstáculos, provavelmente irá ser um ano bastante atribulado, mas quero acreditar que sou capaz. Não estou sozinha e tudo acabará por se resolver.

30
Dez18

obrigado 2018

bii yue

2018 foi o ano que até agora me deu a sensação que passou mais rápido, mas ao mesmo tempo foi tão fluido. Desde o natal, ao qual ligo cada vez menos e já não passa de um dia tão normal como outros, especialmente este ano porque o passei a trabalhar, que ando a pensar no último post do ano e o que é que se passou durante este ano... E a conclusão que cheguei é que não me consigo lembrar de nada em especial! É tão controverso, porque sinto que foi um ano equilibrado, mas que ao mesmo tempo não sei se realmente cheguei a aproveitar por não me lembrar de nada mais marcante. 

Foi um ano em que cuidar de mim interiormente e externamente se entranhou e passou a ser uma necessidade básica. E ainda bem porque notei as diferenças, o meu corpo e sanidade mental agradeceram. A minha vida girou à volta de trabalhos que foram aparecendo, focar-me na universidade e estar presente para as pessoas que eu gosto. Houve alturas mais complicadas à nível de stress e ansiedade, mudanças que começaram a ocorrer nos últimos meses, continuo a tentar descobrir o que é que tenho a nível de saúde. Sinto que me tornei mais adulta e aprendi a levar a vida com outros modos. Tive a oportunidade de ir viver com uma das minhas amigas, sendo que foi uma experiência que sempre quis ter, e voltei a ter outra oportunidade de criar uma amizade forte com uma das pessoas com que vivo, que ao longo de 6 anos nunca tinha acontecido. No entanto parte-me um bocado o coração porque é uma experiência incrível, e tentei proporcionar uma experiência de acolhimento que nunca tive, por isso sei a diferença que fez e fará, mas haverá mudanças já em Janeiro. Os pontos altos foi finalmente ter o meu artigo aceito e publicado, era um dos meus objectivos de carreira universitária e uma concretização pessoal, e ter conseguido ir ao Rock in Rio e ver a Demi Lovato ao vivo. 

Não foi um ano marcante, comparativamente aos outros. No entanto foi equilibrado e ajudou-me a aprender a lidar melhor comigo mesma e com o mundo ao meu redor. Foi possível focar-me nos meus objectivos e construir os caminhos para que 2019 seja um ano em que venha a concretizar mais objectivos, superar as mudanças que se avizinham e possivelmente vir a ser finalmente totalmente independente.

obrigado 2018 por me teres mostrado a pessoa que sou e posso vir a ser.

27
Dez18

Review - Foreo Luna Fofo

bii yue

Poucas são as pessoas que ainda não viram ou ouviram falar do fenómeno Foreo! Uma marca que visa os cuidados de pele e o bem-estar, que veio revolucionar a limpeza facial com um design diferente que se alia à tecnologia de ponta. Em vez de escovas de limpeza facial com cerdas, a foreo é feita de filamentos de silicone, acabando por ser mais suave, mais eficaz e menos agressivo para a pele. E é também mais higiénico porque o silicone é resistente às bactérias e proporciona uma limpeza mais fácil e completa do aparelho. A grande novidade é usar uma tecnologia, T-sonic, que têm até 8 mil pulsações por minuto, proporcionando uma limpeza profunda com a remoção de células mortas e desobstruir os poros e ajuda a eliminar a oleosidade e restos de maquilhagem e ainda ajuda a tonificar a pele. O seu uso dá para umas 400 utilizações antes de ser necessário trocar as pilhas ou voltar a carregar e é à prova de água. Existem vários modelos, tanto para gostos como para carteiras.

Visto que a minha pele é bastante inconstante (ou é extremamente oleosa ou é um misto de seco que passa a oleoso) sentia a necessidade de ter algo que realizasse uma limpeza mais profunda mas que fosse suave devido a minha pele acabar por ser bastante sensível, não resisti e decidi comprar um aparelho da marca. 

tumblr_pkeuxufXe11r8oosi_540.jpg

Escolhi a Luna Fofo, que é diferente dos outros aparelhos porque é uma escova inteligente de limpeza do rosto que analisa a pele para se ter uma rotina de cuidado da pele personalizada através de uma app para o telemóvel. Também monitoriza os níveis de hidratação da pele e gera programas únicos,  com uma intensidade de limpeza e duração personalizadas para as principais regiões do seu rosto. É indicado a cada duas semanas fazer uma análise para ir monitorizando e actualizando a rotina personalizada. Irá durar 400 utilizações até ter que substituir as pilhas. 

 tumblr_pkeuxlkb3N1r8oosi_540.jpgtumblr_pkeuxpyNt11r8oosi_540.jpg

Quando estava a utilizar pensei, mas isto não esta a fazer efeito nenhum e é tão pouco tempo (no meu caso) em cada zona... Mas quando finalmente passei a cara por água e a limpei, a sensação de limpeza é incrível! Não me lembro de alguma vez sentir a pele tão limpa, suave e leve mesmo quando faço máscaras. Já estou a utilizar a Luna Fofo há um mês e a minha pele melhorou consideravelmente, isto porque eu sou péssima para beber água e sem mudar isso a minha pele não irá melhorar porque tenho imensa falta da água, já fiz umas três análises e continuo com a mesma rotina. No entanto, os meus poros diminuiram de tamanho, melhorou o aspecto da minha cara e ajudou a controlar a oleosidade, sendo que a minha pele parece muito mais saudável e começa a ficar oleosa mais tarde. Foi um investimento, mas não me arrependo. Estou bastante satisfeita com a minha fofura azul.

Sobre mim

foto do autor

Parceria/Colaboração

contacto: helenabeatriz12@sapo.pt

Pesquisar

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Inspiração


Follow

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.