Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

because your smile make me live ♥

forceful, trust, connected & discovering the wonders of the universe ✨

because your smile make me live ♥

forceful, trust, connected & discovering the wonders of the universe ✨

06
Dez19

Desafio dos pássaros #13 - reescreve o final de um filme

escrito por bii yue

Os pássaros esta semana querem que se reescreva o final de um filme. Começando pelos meus filmes favoritos "black swan" e "howl's moving castle". Mas para mim os finais são perfeitos e enquadram-se tão bem nas histórias desenvolvidas. Por isso vamos lá dar continuidade aos outros desafios e puxar pela imaginação, que eles tanto gostam. 

Era fim-de-semana, mas ela acorda cedo por hábito. Tinha tido o sonho perfeito, por isso deixou-se estar por mais um bocado envolvida no calor dos cobertores. Agarra no telemóvel e põe-se a ver netflix, até ganhar coragem para se levantar.

Contrariamente ao que tinha imaginado, o tempo naquela terra era quase sempre chuvoso e frio. Isso não ajudou nada à sua mudança, à sua necessidade de acordar e sentir o sol logo pela manhã, ao seu corpo friorento, à sua alma que precisava de conforto. Mas era a sua realidade, era a luta por ter um futuro melhor, por crescer como adulta, por ir viver uma aventura sozinha. Tinha que ser capaz, foi a decisão que foi tomada e que tomou. Os primeiros tempos foram realmente complicados, um choque de cultura, uma mudança drastica, sem ninguém a quem se dirigir. Mas conseguia viver e sobreviver, porque já o tinha feito uma vez. 

O tempo foi passando, alguns amigos e o seu namorado já a tinham ido visitar, por isso meio que já estava habituada e já faltava pouco para acabar. Nunca gostou de estar sozinha, mas agora era obrigada a isso. Custava, mas os dias foram e iam passando. Felizmente tinha parques perto da zona onde morava e adorava ir passear por lá. Já não tinha o mar, mas aquela natureza conseguia acalmar os pensamentos, a alma e aliviar um pouco a saudade por se sentir conectada com o universo. 

Foi o que ela fez nesse dia, após fazer a rotina matinal, foi passear para aproveitar a luz do dia. Recebe uma chamada, era ele. O seu coração bate mais forte, as lágrimas querem cair com tanta saudade, mas consegue manter a postura. Mas nada a tinha preparado para as palavras dele "consegui arranjar trabalho, vou-me mudar para o pé de ti!".

29
Nov19

Desafio dos pássaros #12 - os pássaros

escrito por bii yue

Todas as manhãs, ela acordava com os pássaros a cantarem assim que o dia começava a nascer.  As folhas roçavam gentilmente umas nas outras, devido ao vento. Os raios de sol entravam pelos buracos do estore semifechado. Com o subir do sol e o crescer do dia, os raios iam tornando-se mais fortes, criando um ambiente aconchegante

Não precisava de um despertador, o seu corpo já se tinha habituado a acordar cedo com a natureza. Após acordar o seu corpo, ela sentava-se no fundo da cama, apoiada pela cómoda, a apreciar a magia de amanhecer. Embrulhada numa manta de uma cor branco suja, deixava o seu corpo aterrar, enquanto a sua mente viajava. Os raios ao entrar deixavam um rasto de poeira que dava uma magia especial aquele quarto pequeno, mas aconchegante. Por uns bons minutos, ela permitia-se respirar profundamente, conectar-se consigo própria. Sentir os raios de sol começarem a bater e a aquecer à sua pele. Um sentimento de segundos pairava, estava tudo bem.  Aos poucos ia retornando à realidade, ao momento presente. Tinha que continuar a ter coragem e ir arranjar-se para mais um dia.

Larga a manta, levanta-se da cama e vai até à janela para sentir o calor dos raios de sol em todo o seu corpo. A secretária era mesmo ao lado da janela, senta-se na cadeira ainda embrulhada no calor dos raios de sol, liga o computador e coloca a sua playlist. Após rever aquelas palavras gravadas na sua mente e agora escritas em postits na parede, reúne todas as suas forças e começa mais um dia.

Ela tinha-se mudado a pouco tempo para um novo país, completamente sozinha e dona de si mesma. Abandonara a zona de conforto e a vida feliz que tinha para ir viver uma aventura, para crescer, para lutar pelo seu futuro. Aqueles pequenos momentos era o que lhe aquecia a alma e atenuava a saudade que gritava no seu coração.

22
Nov19

Desafio dos pássaros #11 - kokie, o meu filho

escrito por bii yue

Sou o kokie, tenho 7 meses e sou um mimado. Sou todo preto com um olhar profundo. 

Há meia lua atrás, fui aquele espaço onde existem muitos cheiros de animais. Estava a brincar com a pessoa super simpática quando fico com imenso sono. Depois só me lembro de estar em casa, querer caminhar, mas cair e a minha mamã só se ria, mas depois dava-me muitas festinhas. Mas não sei o que fiz de tão mau porque poucos dias depois obrigaram-me a usar um chapéu transparente horrível que me impedia de tomar o meu banho diário.

Agora que estou novamente livre, voltei aos meus banhos diários. Durante a noite, ou vou vasculhar o lixo para os meus donos terem comida quando acordarem, ou remodelo a cozinha e sala porque eles não têm sentido de beleza/espaço. Também tem bastante piada enfiar os meus brinquedos debaixo do sofá, para depois ver a minha mamã a ir buscá-los e atira para o outro canto da divisão com força.

O ponto mais alto dos meus dias é saltar para a janela com vista da rua e ficar na sala a apanhar banhos de sol. Só não sei porque os meus donos são contra terem a porta fechada, já podia ter caçado tantos pássaros para lhes oferecer. É só saltar um degrau.

Recentemente aprendi a abrir uma espécie de porta de madeira, usando o meu poder de ser líquido e vou lá para fora tentar a minha sorte. É tão bom sentir o calor do dia diretamente no pelo, o ar puro, a liberdade. Até ouvir a minha dona a chamar por mim e com a arma de um cabo de madeira nas mãos para me fazer um barulho que me assusta imenso e eu fujo pelas minhas sete vidas. 

Quando o meu dono dá mimos a minha mama fico com ciúmes e começo a roçar com força nas pernas e depois fujo para ele se esquecer dela e receber eu a atenção.

Adoro brincar, agora que já não tenho dentes de leite sabe tão bem morder. Mas acabo sempre a ser repreendido sem saber porquê. Também sou bastante curioso e sei onde esta tudo nesta casa e quando entra algo novo tenho que lá ir inspecionar. Faço longas sestas na minha cama e quando sinto que a minha dona esta muito concentrada, vou ter com ela e obrigo-a a tomar atenção em mim

IMG_20191031_122213.jpg

15
Nov19

Desafio dos pássaros #10 - Já chegamos? Já chegamos?

escrito por bii yue

O avião estava lotado, o barulho dos motores era ensurdecedor. As crianças a bordo só sabiam dar gritinhos e estar constantemente a perguntar "Já chegamos? Já chegamos?". Apesar do lugar dela ser em cima da asa, tinha tido a sorte de estar no lugar à janela. Coloca a música no volume máximo para abafar aquele caos de sons à sua volta, e fica a deslumbrar a paisagem pela pequena janela. Tinham levantado voo a pouco tempo, mas já se começavam a formar cristais na parte inferior da janela e o frio da altitude começava a criar arrepios no corpo. Aconchega-se no seu lugar, cobre-se melhor com o casaco peludo ao xadrez. O seu olhar fica vidrado nas nuvens que estavam abaixo, pareciam algodão doce, nos tons de azul e rosa que se misturavam, no rasto que outros aviões iam deixando naquele céu tão limpo e iluminado. A sua mente vagueia por toda a mudança que esta prestes a acontecer, a saudade já aperta no coração, sente-se tão pequena e sozinha, a lágrima começa a escorregar no canto do olho. Mas ela tenta focar-se nas memórias que lhe enchem o coração de alegria e excitação.

Dias longos de verão, o calor fazia-se sentir e sem uma casa vazia para estar, o lugar escolhido era sempre o rio. Onde se conseguia ter um pouco de aragem fresca e sombra. Outra coisa presente, era a excitação e procura constante de prazer. As conversas intensas, os toques a provocar.

Ela com o calor tirava sempre a pouca roupa que tinha e acabava a fazer nudismo.Ele não se continha. O olhar prazeroso, passava a mãos descobrirem uma vez mais, cada centímetro daquele corpo nu. Beijos intensos e sofrêgos. Em segundos ele também já estava nu e avantajado. Uma toalha servia como colchão, um terreno a descer, pedras e paus que magoavam como pregos o corpo, que com o tempo e posições deixavam marcas e nódoas negras, especialmente nos joelhos. O suor e calor não impediam o sexo intenso, o ritmo ardente que fazia os corpos gemerem por mais, a intensidade dos orgasmos que só a natureza calava. O risco de poder aparecer alguém e ter que estar atento aos sons a redor, que em segundos se desvaneciam com o prazer entre dois corpos sedentos de prazer, só aumentava a adrenalina. 

"Já chegamos? Já chegamos", assim a chamou de volta à realidade.

08
Nov19

Desafio dos pássaros #9 - Acordaste nu, sem te recordar de nada, numa ilha deserta 

escrito por bii yue

O sol abrasador a bater-lhe na pele do seu corpo nu, fez-la acordar. A areia quente debaixo da cara, peito e barriga com um contraste ainda mais quente do sol a bater-lhe nas costas, enquanto que as ondas banhavam as pernas e rabo. Após uns segundos para tomar consciência de onde estava, levanta-se e vai para à sombra das árvores a uns metros de onde se encontrava. Ao seu redor só se via um vasto horizonte de oceano e umas árvores que faziam parte de uma floresta. O seu corpo esta pesado, a sua cabeça pesada, a sua boca seca e a última coisa que se lembra era estar num jantar com o seu namorado e a conviver com outras pessoas, depois disso é um total apagão

Após uns longos minutos a tentar recuperar e não entrar em pânico, decidiu ir até à beira mar e ver se encontrava vestígios na areia. Como tudo o que se via eram as suas próprias pegadas e já que estava nua e sozinha, entrou na água quente do oceano e deixou-se deslumbrar pela beleza do ambiente em que se encontrava. Deixou-se boiar naquela água transparente, sentia as ondas a percorrerem o seu corpo, os peixes nadavam perto de si, o sol a bater-lhe na cara.

O ar era húmido e passados alguns minutos de ter entrado na floresta, o seu corpo já suava e as gotas iam escorrendo sob aquele corpo semi-moreno seco com salitro. Ao avançar pela vegetação começa a ver um quarto improvisado no meio das árvores, com cortinas azuis claras a esvoaçar e uma cama com lençóis brancos amarrotados. Ao aproximar-se repara numa silhueta a esconder-se que reconheceria em qualquer lugar. Ela deita-se na cama e sabendo que esta a ser observada, pela pessoa, que de alguma conseguiu levá-la ao paraíso que sempre sonhou, começa a masturbar-se

Em poucos minutos a silhueta sai das sombras e vai ao encontro dela. As suas mãos percorrem cada curva do corpo suado e excitado, a boca percorre o peito, pescoço acabando em beijos sôfregos. Os corpos tocam-se, trocam sensações, gemidos de prazer e orgasmos. Os olhares encontram-se, as mãos entrelaçam-se, os corpos tocam-se numa sintonia onde só existe o objetivo de dar e receber prazer, um ritmo frenético. Os corpos estão cansados, mas a excitação continua presente. Ela manda um suspiro de felicidade e aconchega-se no corpo nu ao seu lado.

01
Nov19

Desafio dos pássaros #8 - Escreve uma carta para a criança que foste

escrito por bii yue

Para ti criança:

Apesar de seres filha única e te sentires sozinha, tinhas sempre a imaginação e o teu melhor amigo de 4 patas para te fazer sorrir.

Tinhas a tendência a viver um mundo de fantasia e a desejar que um dia a tua vida fosse parecida a das novelas e filmes. Se calhar não devias ter pedido tão piamente por isso, porque há alturas que este adulto se assusta com semelhanças

Todas as brincadeiras com as barbies e os carros que te envolvias e passavam as horas sem dares conta.

Os livros lidos que te faziam viajar para outros mundos e alimentavam este bichinho da escrita. E obrigado pais por me terem sempre nutrido estas paixões. 

Sofreste bullying por causa da tua aparência e timidez, eras um patinho feio por dentro e por fora. Foram anos longos e duros, querias fazer a birra de não querer ir para as aulas e pensavas que esses tempos iriam durar até acabares o ensino obrigatório. 

Foste uma maria rapaz com uma infância feliz. Apesar de uma medricas que quando criança nunca aprendeu a andar de bicicleta e tinha medo de muita coisa. 

Tiveste fases boas e fases más. Mas foi isso que te fez crescer, aprender e te moldou para o que a pessoa que sou hoje, com uma história. 

Sentiste muita frustração e revolta pelo meio que estavas, pela maneira como crescias, pela comparação ao resto do mundo. 

Querias crescer, mas aquela proteção constante não ajudava, sempre sonhaste com a liberdade.

Porque a vida já deu muitas voltas, já te mostrou momentos mais difíceis, mas também a força que tens dentro de ti. Deu-te alguns dos teus sonhos e memórias cravadas no coração.

A liberdade veio após tantos anos e pudeste libertar-te, ser quem eras sem teres que pôr uma máscara. Foi com lições, muito choro e dor à mistura. Mas também foi com uma alegria enorme e compensadora. 

Tu foste de capaz chegar até ao ponto em que estas hoje. Olha para trás e vê o caminho que já percorreste... Orgulha-te das conquistas, das melhorias, de todas as transformações que levaram até ao ser humano que és.

Obrigada pelo esforço, pelas lágrimas, pelos sorrisos, pelas aventuras, por teres lutado, pelas aprendizagens, por não teres desistido, por quase teres quebrado, mas conseguiste e saiste por cima.

E agora estas a reconectar-te com o teu eu verdadeiro. 

25
Out19

Desafio dos pássaros #7 - Venda ao público

escrito por bii yue

"Ora bem, ele é um casmurro do caraças e não me vai dar nenhuma opção a não ser vender o que ele quer, por isso hei-de conseguir convencê-la ou não me chame Beatriz que não leva um não como resposta."

Eu sei que você precisa de uma máscara capilar, mas de certeza que já ouviu falar de alternativas mais amigas do ambiente. O produto mais conhecido é o óleo de coco que ajuda em cabelo rebelde e denso e óptimo para hidratar, praticamente faz o trabalho de uma máscara. Também há quem use cerveja para fazer a vez de espuma de cabelo ou mesmo nívea. Óleo de amêndoa também é muito bom para cabelo seco e aplicar depois do banho. O mundo é cheio de possibilidades, só tem que estar aberta a experimentar. Para além que senão resultar consigo, porque cada um é diferente e têm os seus gostos, sempre fica com compota para pequeno-almoço ou lanche.

Você um amor, não vou dizer que irei comprar a sua compota para usar como máscara, talvez venha a tentar, mas não estou muito confiante. No entanto, você apresentou-me o seu produto com tanto empenho, um sorriso na cara e simpatia que não sou capaz de lhe dizer que não.

"Por mais pessoas assim, que são optimos ouvintes e respeitam o nosso trabalho!"

18
Out19

Desafio dos passáros #6 - O Amor, uma cabana…e um frigorífico

escrito por bii yue

As folhas batiam umas nas outras com o vento suave que se fazia sentir. Um arco-íris de cores começando nos tons castanhos avermelhados das folhas e acabando nos tons azuis a mudar para rosa pastel do céu. Ainda se sentia um resto de calor de verão no ar trazido pelo vento, apesar da temperatura ter baixado ligeiramente.

Por toda a paciência durante meses, ele decidiu render-se ao romantismo que ela negava, e levou-a passar a noite numa cabana "perdida" no meio de um pinhal junto à praia. Ela estava rendida aquele ambiente e ao gesto de amor que sonhava, mas ignorava. 

Era uma cabana típica por fora, mas por dentro tinha um toque moderno e simples. Enquanto ela ficou cá fora a viver aquele ambiente, ele entra dentro da cabana, acende a lareira e começa a preparar o jantar. O tempo vai passando, o jantar fica pronto e ela não aparece. Ele vai a procura dela, mas não a encontra. Começa a andar na direção na praia e vê um vulto a rodopiar e a admirar o pôr-do-sol. Lentamente vai ter com ela, a sorrir com aquela visão e a pensar que não poderia ter havido melhor surpresa. Ela vê-o, corre para ele e salta-lhe para os braços, beijando-o profundamente. Não eram precisas palavras, ele sabia como ela precisava daquela liberdade de escapar do mundo e ela sabia que apesar de desaparecer, ele iria encontrá-la, desculpá-la e viver aquele momento. 

Sentam-se na areia e entre beijos o clima começa a aquecer. Como sempre, ela já está praticamente sem roupa e pronta para lhe saltar em cima. Ele para-a porque a temperatura começou a baixar bruscamente e tinha preparado todo um ambiente na cabana. Ela lá se veste a resmungar, enquanto ele só se ri e a pica. Chegam à cabana, as roupas vão sendo espalhadas pelo chão por entre troca de beijos sôfregos e toque de corpos. Não há sexo melhor que aquele de momento e direto para a satisfação, especialmente num ambiente novo e confortável.

Saciados, exaustos e com fome vão finalmente jantar, que apesar de já estar frio tinha sido feito com tanto amor. Enquanto ele reaquecia o jantar, ela vai ao frigorifico buscar bebidas frescas, senta-se a admirar aquele eletrodoméstico e suspira em exclamação que era um igual que queria comprar para a casa.

11
Out19

Desafio dos passáros #5 - pontos de vista

escrito por bii yue

Mas porque é que a fila não anda?

- O sistema informático do purgatório foi abaixo e perdeu-se todos os dados para a balança fazer a decisão se irão para o céu ou inferno. Deste modo preciso que a pessoa a ser atendida diga o que pensa de si, qual é a história da sua vida.

O meu nome é Adolf Hitler e fui um político que queria mudar o mundo e sociedade enquanto vivo. Tinha milhares de pessoas a seguirem-me e a idolatrarem-me, a viverem segundo os meus ideais, consegui compor a economia em que foi deixada a Alemanha e ainda deixei a minha marca com uma enorme guerra mundial que quase ganhei, mas as escumalha conseguiu ficar à minha frente. Fiz muito mal, mas foi para o bem da huminidade. Fiz algo que a seleção natural iria demorar a executar. Fiz o trabalho que o Outro não foi capaz de fazer. Acho que mereço entrar no céu. 

No céu? Inferno, sem pensar duas vezes. Depois dos milhares que matou e do terror que instalou. Ele tem que sofrer o que fez sofrer às pessoas inocentes que mandou para a morte! 

Não discordo do que estas pessoas estão a dizer, mas o homem tem a sua palavra e o seu ponto de vista. Não sei se estará alguém nesta fila que via este homem como o seu líder, mas aposto que se lhe perguntarem qual é a opinião, irá dizer que deveria entrar no céu. Isto porque partilhavam os mesmo ideais para construir uma sociedade melhor e que estariam a fazer um bem maior. Se colocarmos de lado rótulos e doenças, vamos chegar ao fundo da questão que são pontos de vista. Cada pessoa tem o seu, nenhum de nós pensa ou acredita nas mesmas coisas, nenhum de nós vive de maneira igual. Temos o livre arbítrio, temos um cérebro que nos faz pensar e questionar. No fundo acabámos por julgar uma pessoa pelas suas ações, mas e tentar compreender as razões que levaram a isso é raro. É simplesmente mais fácil, do que ir tentar descobrir o que levou a tais acontecimentos.

- Ora muito bem, acho que já ouvi opiniões que cheguem! Este homem vai para o inferno. Fica aqui escrito que as crenças de cada pessoa têm que ser respeitadas, ouvir as razões e pesar com as ações tomadas e consequências.

04
Out19

Desafio dos pássaros #4 - A Beatriz disse que não. E agora?

escrito por bii yue

A Beatriz é uma pessoa que não gosta de ouvir a palavra "não", porque sempre esteve habituada a ouvir essa palavra. Daí acabava sempre no seu mundo da imaginação.

Ao crescer, foi obrigada a lidar com essa palavra e arranjar alternativas. Houve situações que a abalaram por ouvir essa palavra quando finalmente tinha a sua liberdade, mas ainda não era aquela liberdade total.

Hoje em dia, é uma palavra comum como tantas outras. Ninguém gosta de ouvir um não quando realmente quer algo. Mas já sabe bem ouvir um não quando é algo que vem a nosso favor.

A Beatriz sou eu, prazer. E disse que não. O que acontece agora?

Nada, podem tentar convencer-me, mas sem esperanças. O “não” é uma palavra que ainda me custa imenso dizer, por ser tão coração mole, querer agradar aos outros quando na realidade o meu interior quer dizer que não. Ou seja, quando o digo não há volta a dar.

Aventura de uma vida ♥

because your smile make me live ♥

Sobre mim

foto do autor

Parceria/Colaboração

contacto: helenabeatriz12@sapo.pt

Instagram

Pesquisar

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Inspiração


Follow

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sigam-me