Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

because your smile make me live ♥

forceful, trust, connected & discovering the wonders of the universe ✨

because your smile make me live ♥

forceful, trust, connected & discovering the wonders of the universe ✨

11
Fev12

não é um conto de fadas

escrito por bii yue

Quando era criança sempre sonhei ter uma vida como a dos filmes, novelas, séries e livros. Desejava sentir o que as personagens sentiam, ter aqueles dramas, aquelas felicidades, aqueles momentos a sós, aquelas amizade e amores, aqueles desfechos, enfim aquelas histórias de vida. Ser a personagem principal que passava por tanta emoção e aventura acabando no fim por sair sempre bem e ter tudo o que mais desejava como recompensa pelas situações más que passou e ter conseguido superado os problemas. Ainda hoje, às vezes, sinto isso e gostava de voltar a sentir o que essa criança sentia sem a mínima idéia de como iria ser à sua própria história.Quando estou a ver ou ler algo deixo-me levar pela história, imaginar como se fosse eu naquela personagem mas aprisionada à realidade. É apenas um desvio rápido da minha própria história, a que em certos momentos parece igual à dos filmes mas mais dura e aí fico a repreender-me por ter desejado sentir e viver aqueles momentos quando era mais nova. “A realidade é bem mais dura”, “A vida não é um mar de rosas.” perdi a conta a quantas vezes ouvi isto em criança, mas era inocente e ingénua não ligando para o que me diziam e continuando colada ao mundo que sonhava. A inocência começou a perder-se e a minha própria história começou a ser escrita pelos meus dramas, alegrias, amizades, erros e solidão. Ao contrário das histórias nunca me consegui encaixar totalmente, andava sempre à procura do “lugar” ideal onde me sentisse eu própria e não tivesse que estar submissa à vontade dos demais. Quando o encontrei não tive noção, era bom demais para ser verdade e como em todas as boas histórias a personagem principal comete erros mas no final parece não ter que lidar com eles, pois na realidade têm-se. É passado apenas tem que se lidar com ele e aos poucos as coisas acabam por se enfiar em gavetas até a próxima, mas ele esta sempre à espera de uma oportunidade para aparecer e deitar todo esse trabalho abaixo. O presente é o mais importante, aquele dia em que estou a viver a minha história, onde encontrei o meu lugar e onde já não estou sozinha. Já era bom final para a minha história, mas ela ainda não acabou e continua. Nem tudo é perfeito, tem que haver um equilíbrio, pelo que parece, porque para haver aqueles momentos de felicidade tem depois que haver aqueles que mexem por mais que se tente ser indiferente. Pode ser surprestição ou apenas uma mera coincidência mas várias cenas de vários filmes já foram realidade, arrependimentos, choros, euforias, alegrias e quem me dera não ter sonhado acordado com algumas delas. Não é um conto de fadas, é um desafio para demonstrar de que somos feitos.

 

09
Jan12

Leva-me

escrito por bii yue

Leva-me daqui para deixar de viver cada dia com as esperanças no limite. Para deixar de sentir todos os medos do futuro que tentei ignorar mas que estão mais próximos ao passar mais um dia. Como pesadelos intermináveis que continuam após o acordar e são retornados à noite gritando em silêncio para "acordar". O inconsciente brinca com a realidade somando-a aos medos vezes sem parar tornando o caminho para a escuridão mais curto. Uma mini auto-estrada para as masmorras húmidas e abandonadas, onde o sol brilha mas não chega aos cantos mais afastados para os secar.

Uma pausa do mundo, dos pensamentos, dos sentimentos não é pedir muito mas é como se fosse um erro. Um julgamento por ir contra as normas do dia a dia lutando constantemente por ignorar e seguir em frente vivendo cada dia de cada vez. A mesma "lengalenga" de todos os dias mas que não pode ser esquecida por mais que as circunstâncias assim o desejem.

Quantas lágrimas já caíram ao chão por revolta e frustração e de não conseguir impedir isso porque no final de contas é o pagamento pelos erros dos outros, que agora já é tarde demais para voltar no tempo. Como é possível encontrar mais forças para seguir em frente se as coisas que estam para trás dificultam o caminho... Cada lágrima leva consigo um bocado desses sentimentos, mas como uma fonte inesgotável é um peso sobre os ombros contínuo fazendo vacilar pelos caminhos mais tenebrosos.

Leva-me daqui, é quando estou contigo que a minha mente tem descanso porque às vezes querer esquecer não é para fugir mas sim para um descanso temporário da realidade.

 

18
Dez11

querido diário...

escrito por bii yue

São 17 anos para engolir todos os dias, por uma cara de “está tudo bem comigo, não precisam de sequer notar os sinais”, quero acreditar que é só mais um ano. Já não sei no que acreditar, o que será daqui a um ano, mas aprendi a viver um dia de cada vez, é a melhor solução para não dar em louca.

Porque eu acredito que superamos, como a última peça encaixa no puzzle, a razão de uma história...

 

"À fraca luz do candeeiro, com a chuva persistente a bater no telhado cria-se a harmonia para surgirem pensamentos "indesejados".

(...)

Vazio.

Uma paisagem à preto e branco que passou a ser colorida.

<<"É uma parte com a que terás que conviver" uma aprendizagem contínua, um esforço para melhorar um pouco todos os dias e não desistir quando tais palavras se fazem sentir.>>

Não há razão para ter medo das sombras porque em algum lugar próximo, alguém tem a nossa luz.

Saudades quando não está, daquele sorriso, daquele olhar, daquele toque. O mundo à volta desvanece-se, há mais cor, mais alegria, mais força para continuar a viver mais um dia. Mas ele não está, apenas em pensamento. Sinto a falta da sensação de estar nos seus braços a desejar que pudesse ser assim o tempo todo.

(...)

A realidade é dura, porém há que ter coragem para saber e conseguir lidar com pensamentos, emoções e ações. Se determinada coisa acontece é por alguma razão e no fim estará uma lição de vida. É só mais uma para se ter em conta e continuar a jornada de queixo levantado e um sorriso, nem tudo na vida é mau e há sempre razões para sorrir de felicidade."

 

09
Jul11

hapiness

escrito por bii yue

Existia apenas um único pensamento que me invadia a cabeça. Iriam suceder-se muitas coisas das quais as crianças só podem imaginar. Numa coisa ela tinha razão, aquele fim-de-semana em espanha serviu para seguir um novo rumo.

E tudo o vento levou...

Acordar e descobrimos que temos mais um dia para viver, ainda há tanto para dizer e fazer. Não acaba ali é apenas mais um degrau para subir e descobrir que afinal as melhores coisas estão mesmo a frente dos nossos olhos, mas como somos mesquinhos e procuramos sempre a felicidade a um outro nível, nem nos apercebemos que talvez seja mais fácil consegui-la encarando do que andar em rodeios.

Quem é que não gosta de ver uma criança a sorrir quando lhe dão uma guloseima e fica feliz, são nessas pequenas mas despercebidas situações que se encontra a felicidade. Ela encontra-se ao atingir aquilo que esperamos durante tanto tempo.

 

Ainda costumo pensar em tudo o que se passou, o que já fui, o que sou agora. Não é por querer simplesmente em pequenos gestos me vem à mente e porque aprendi a viver com isso e aceitar que tudo acontece por uma razão. E faz-me perceber que cada um tem as suas guerras e eu superei umas das piores e talvez ganhar o gosto à vida.

Ou então simplesmente, é por ao fim de tanto tempo procurar preencher aquele vazio por caminhos secundários e agora ter seguido o caminho principal que me faz viver.

09
Abr11

remember when

escrito por bii yue

“Todos falavam da relação, antes sequer de haver relação, estava condenado.”

 

Palavras ouvidas à primeira vez e reconstituídas para ligar ao passado. Agora entendo melhor as atitudes, agora vejo o mal ou bem que fiz porque não sei se iria dar certo, agora compreendo o incompreensível da nossa relação.

Bateu muitas vezes à porta e eu abria com um enorme sorriso, iria tentar mais uma vez, mas as ilusões iriam falar por si deixando para trás um espaço vazio que se enchia de dor.

É preferível ficarmos como estamos, desisti de querer entender-te, é ao ritmo de cada um que as coisas correm... Ambos aturamos os melhores e piores momentos um do outro, porque estar a fazer filmes disso, porque não deixar rolar, viver e guardar naquele recanto para muito mais tarde recordar.

Não é um adeus, é um simples até logo.

Esforço-me ao máximo para tentar ser melhor, não é fácil ... conseguir ser o que sou por mensagens na vida real. Melhorei, mas ninguém leva a sério as minhas palavras, talvez por outrora ter dito sem conta que conseguia conter o vicio, mas não era a verdade. São sinceras, pesadas, esgotantes de não o conseguir ser todos os dias.

Um garrafa será lançada ao mar com todo o passado que persiste em me atormentar a cabeça no presente, preciso dos meus pequenos momentos naquele lugar a que chamam de sombrio, mas eu chamo de reflexão.

 

Soo cute  *-*

04
Fev11

you can star all over

escrito por bii yue

É mais que altura para por um ponto e vírgula e mudar de paragrafo.

Preciso de o fazer por mim, ainda tenho um longo caminho pela frente e tenho que me desprender de pequenas coisas que são uma via rápida para um chamado passado.

“Já passou, não penses mais nisso”.

É isso que tento fazer, esforço-me a cada hora para ser melhor e continuar a manter aquela força de vontade. Eu consigo ser feliz sem estar agarrada a ninguém, afinal já o fui antes posso voltar a sê-lo. São precisas provas para a minha mente parar de se armar em detective.

Os dias vão passando, tornando-se maiores e eu quero endurecer com eles.  Preciso de espaço, mas também preciso que as pessoas à minha volta compreendem isso e não me julgem pelo que posso ou não fazer. É preciso guardar as recordações, fechá-las numa caixa para mais tarde recordar. Fazem parte da minha vida e não quero esquecê-las porque foram essenciais.

Tenho um rumo à minha frente, não vou deixa-lo fugir mais uma vez. Irei ultrupassar isto, afinal já passei por pior, é só mais um degrau para subir

Uma escada em caracol, um piano a tocar à medida que se sobem essas escadas, altos e baixos, por fim um som diminuendo. É assim a lei da vida “por mais problemas que tenhas, o mundo não acaba hoje porque no outro lado do mundo já é amanhã”.

Um copo de vidro quando cai, parte e os seus pedaços podem cortar, mas é possivel voltar a reconstrui-lo, é como um puzzle. Cada minuto é mais uma pequena peça para se construir um todo.

 

19
Jan11

#think about it

escrito por bii yue

"As pessoas que se cortam sentem que não tem controle de suas vidas". "Alguma coisa em sua vida é um completo caos e a única maneira de lidar com isso é se machucando."

Eu aprendi a ter controlo, é tudo uma questão de provas!

O passado faz parte do passado, está a ser enterrado, não preciso de mais problemas e coisas. Não quero que se preocupem quando eu simplesmente quero passar uma borracha por cima e esquecer as pequenas coisas que estam a acontecer. Preciso de me aplicar na escola e é isso que ando a tentar fazer ao mesmo tempo que quero estar bem com quem está a minha volta. Posso voltar a errar, é verdade, mas a vida ensina lições para tentar não se voltar a cair no mesmo erro.

Não tenho problemas em dizer o que fiz, porque isso mostrou-me que fui forte e sai do lugar sombrio onde por tanto tempo permaneci...

 

"Para cada porcaria feita na vida, lembra-te que há sempre um amanhã, que deve ser visto como uma folha em branco pronta para ser escrita."

\\

"basta uma troca de sorrisos, uma troca de olhares... existem coisas que demonstram mais do que o que podemos pensar."

 

O silêncio é uma arma poderosa, aprendi a viver com isso. Porque com tantas perguntas sem resposta, uma mente está à nora e apesar da consciencia querer saber, o coração nao quer sofrer...

\\

"O que é meu é meu, o que é teu é nosso xD"

 

Será que possuimos realmente alguma coisa? Ou simplesmente é mais uma invenção do homem para tentar comparar-se aos outros?

 

\\

"a perfeição não existe. existem é seres capazes de aceitar o outro com os seus defeitos e ignorá-los porque o perfeito é o imperfeito. nada mais!"

<3*

just thank you for accepting me just like i am and don't judge me by my past and the terribles mistakes.

 

 

 

apenas o teu simples toque e o teu sorriso me fazem viver.

18
Dez10

#6

escrito por bii yue

Não sei se daqui vai sair um texto grande ou pequeno, não é isso que importa.

Vão ser frases descontextualizadas, palavras desapropriadas, contextos perdidos.

Já não escrevo para parecer bem, mas sim por necessidade.

Uma necessidade de libertar o turbilhão de pensamentos do espirito que se sente sobrecarregado.

Não o faço para agradar quem lê, mas sim para agradar a mim!

Nunca devia ter deixado fugir a vontade de escrever...

 

Devia ter ficado em casa, naquele dia de chuva.

Devia ter ficado bem calada naquele dia, poupava sofrimento por mais tempo. Talvez alguém viesse a descobrir ou não...

Durante inumeros meses consegui convencer-me e enganar-me, até que tudo rebentou, tarde demais. A partir desse momento inicia-se uma volta de 360º graus.

“É então que oiço uma voz a sussurrar-me:

-Foi a sede pela obsessão!”

É uma das minhas fic’s, a imaginação, afinal, não anda assim tão distante da realidade.

É doentio para mim e imagino que muito mais para quem sofreu com tudo. Admito exagerava demasiado, mas fazia-me sentir bem. Era umas das poucas coisas que me restava. Preferia que me tivesse dito logo tudo, existe muito por dizer, mas esta tudo entregue ao silêncio. Será melhor assim? Não sei, mas sei que é dificil tocar nesse assunto.

“O mundo à minha volta esta a desabar e eu estou a ir com ele, estou a ficar sem forças para continuar, estou a perder a minha felicidade, estou sem grande parte de mim.”

Não consegui aguentar o barco e deixei-me afundar com ele. O passado mais distante decidiu vir atromentar-me, lembrar-me os meus maiores medos, perder as pessoas que mais amo no mundo. Se menti foi para proteger, não suportava que houvesse mais dor. O assunto da liberdade voltou à toa, pensei que as coisas poderiam vir a melhorar, mas de pouco valeu, continuo a viver presa sobre quatro paredes que conseguem sufocar-me a cada hora que passa.

Não é assunto facil de lidar, é obscuro, torna-se num vicio, mas também é muito fácil de esconder. Disse e volto a dizer havia o bichinho. Tratava de forma normal porque tornou-se num escape para a falta de coragem de encarar a realidade, é assustador e arrepio-me ao pensar na pessoa que isso me estava a tornar.

A avalanche foi tornando-se maior e acabou por vir pela montanha abaixo levando com ela tudo o que se encontrava a sua frente. Perdi toda a dignidade, a confiança, o interesse e a amizade!

Já não me lembro o que é realmente dormir, acordar restabelecida, com a energia que sempre permaneceu dentro de mim. Eu tento por tudo estar sempre com um sorriso, separar os problemas, como sempre consegui, mas sinto-me demasiado cansada para o que quer que seja. Tenho que conseguir, o meu bem estar depende disso!, mas como costumo dizer: para avançar para outra é preciso coisas novas. Estou tão habituada desde sempre que agora contrariar a rotina é dificil, permanece aquela miuda certinha, que disso já nada lhe resta. O sentimento de culpa encontra-se entranhado em cada pedaço de vida.

Não sei o que fazer a minha vida, cheguei a uma encruzilhada sem saber porque caminho seguir. Um novo rumo com mudanças drásticas ou um novo rumo com “peripécias” pela frente. São tantas coisas a minha cabeça ao mesmo tempo, que reflectit apenas sobre uma, implica uma enorme dor de cabeça. Tento suportar as lágrimas, nunca gostei de chorar, as bombas estam sempre a rebentar e volta tudo ao de cima mais uma vez.

Sou capaz de suportar tudo, mas não a palavra ignorar! Demasiadas experiências, demasiados segundos planos, demasiadas recordações de dor, demasiados sentimentos associados. Já não é a primeira, nem segunda, muito menos a terceira. Um corroer ao longo dos anos...

 

O que mais quero neste momento é ter um rumo a percorrer, objectivos a concretizar, uma vida para viver, quero estar bem com o a minha volta e principalmente comigo mesma!

 

 

Muito ainda falta por escrever...

03
Dez10

#5

escrito por bii yue

Quando escrevo, não é por escrever.

Uma forma de tentar libertar pensamentos mais obscuros, uma forma de descarregar pensamentos mais duros.

 

Imagino no escuro, um sítio escuro, uma escuridão assustadora e dolorosa. Como uma caixa fechada sem ar, gritos que ninguém ouve. Num canto está escrito “Doí-me num sítio muito longe, remoto de todas as razões. Doí-me uma razão calcinada, terra de silêncioe ossos onde se vai para morrer.” Palavras, ditas ao acaso, mas que denunciam uma dor de grande fracasso, como um buraco, uma falha que engoliu toda a alegria. A sombra dos erros. Presa, mas disfarçada por sorrisos espontâneos que saem do corpo, não da mente.

Oração silenciosa da minha estúpida história, entregue à memória.

Minha alma entregue a um forte trovão, que me electrifica os dias, parecendo cortar, como se ficasse sem coração, um corpo moribundo. Que existe por existir e que vive por viver...

Sinto que há algo a fazer, mas são demasiadas sombras que teimam em não desaparecer. Isto não passa de um pesadelo que passará um dia e que é tudo histórias da minha cabeça, mas sei que faz parte de uma realidade. Não querem ver o que aconteceu de verdade, enganando-me assim todos os dias. Uma esperança diminuída, em que chegará um dia com uma solução definitiva?

No meu corpo (por cada corte que faço na minha alma, que por vezes acalma e alivia a dor) ficará um odor a podridão, um nojo ocultado, um frio no coração. Como uma flor que não é regada e se torna feia, no meio de um lindo jardim. Ficando sempre a esperança que amanhã será um dia  melhor e que da minha cabeça desaparecerá este triste horror.

 

 

05
Nov10

“a dark world but something colorful”

escrito por bii yue

Voltei a lembrar-me desses tempos, onde o preto era a única cor que, queria, que existisse, tempos onde mergulhei na escuridão de ser e não ser.

Uma estrada de que nada se compara com o agora.

Acho, foi aí que as primeiras ideias surgiram, mas foram caladas pelos tempos que vieram e fizeram-nas mergulhar na obscuridade de ser.

Inúmeras badaladas da meia noite tocaram, noites de lua cheia recheadas de desejos e pensamentos, muitos dos melhores momentos que já vivi.

Os caminhos voltaram a encontrar-se numa encruzilhada, onde o demónio está, sempre, a espera para fazer um pacto em que o preço é a alma. Vendi a minha por um preço perigoso.

O obscuro renasceu, mais forte e supreendente, nunca me passou pelo pensamento faze-lo e quere-lo continuar.

Uma revolta que foi consumindo, no lado preto. Enquanto o mais claro vivia cada dia.

Existe uma corda bamba, ora mais peso num lado, ora noutro.

A minha alma foi devolvida, mas por quanto tempo a continuarei a ter presa a mim?

Tenho medo que volte a perder o que me faz sentir, bem e eu.

Porque não viver num equilibrio entre o preto e o branco, perder, acrescentar, manter qualidades, defeitos e vicios.

Continuar a ouvir as doze badaladas, é só mais umas horas, olhar o céu e (re)olhar a lua cheia, escondida ou não pelas nuvens negras.

 

 

REBELDIA&REVOLUÇÃO

Tentando ser o melhor que poderia ser...

 

 

 

 

 

Escrever...

tenho imensas saudades dos dias onde a imaginação reinava, as palavras saiam em tom e ordenadas pelo racocinio de ser mais uma história, um texto misturando o mais real com o mais imaginário que uma mente produz. Palavras, expressões, pontuação que se marcavam pela diferença de serem notadas e interiorizadas. Frases, lições de moral para serem (re)lidas vezes sem conta. Inúmeras são as palavras, inúmeros são os sentimentos, infinitos são os textos que se passam de mão em mão, fazendo ou não, parar o ser humano para se sentar debaixo de uma pequena árvore num lindo dia de sol para entrar num mundo que ninguém têm o direito de o fechar.

 

 

Aventura de uma vida ♥

because your smile make me live ♥

Sobre mim

foto do autor

Parceria/Colaboração

contacto: helenabeatriz12@sapo.pt

Instagram

Pesquisar

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Inspiração


Follow

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sigam-me