Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

because your smile make me live ♥

so strong, so broken

because your smile make me live ♥

so strong, so broken

01
Fev19

Compreensão

bii yue

Respira, para por uns segundos e pensa racionalmente.

É um novo capítulo e ambos estão em diferentes fases.

Já aconteceu, mas naquela altura era eu estava que estava no patamar de cima e agora é o contrário. Por esse facto consigo perceber o lado dele, mas por mais que eu tente alinhar no pensamento dada a minha situação no momento é me impossível conseguir fazer planos tão no futuro. Aprendi a viver no presente, porque o meu futuro é tão incerto e inconstante e viver dessa forma só me trazia ansiedade desnecessária. Não preciso de estar a fazer planos a tão grande prazo, a criar medos e inseguranças desnecessárias quando neste momento o presente está atribulado e o meu futuro é um ponto de interrogação.

Continuo a gostar imenso de falar sobre o futuro e estou aberta as opções dele. No entanto tenho os meus próprios objectivos e preferia ficar longe de um sítio que me limita e me faz sentir sufocada. A minha opinião pode mudar, por vir a crescer e criar mais maturidade ou então por ser simplesmente obrigada por circunstâncias da vida e ter que me adaptar. Não é um não, apenas é o que sinto no momento porque estou bem no lugar onde estou, tenho a minha liberdade e independência, tenho locais onde posso ir, descontrair e passar um bom tempo. 

Há alturas em que é um pouco cansativo. Eu percebo completamente o entusiasmo e a necessidade de ter que se fazer planos para o futuro, é um patamar superior, é a vida que me espera e eu tento pôr-me a pensar desse modo... Nem sempre consigo, estou focada em coisas diferentes, a aproveitar enquanto tenho espaço para respirar e viver sem horários.

Mas tal como a minha opinião pode mudar, a dele também poderá mudar. É o futuro, não se pode adivinhar o que irá acontecer, apenas se pode supor e pôr as nossas vontades e forças nisso. Porque o presente é que faz a vida acontecer e pode ser surpreendernos como ser imprevisível. 

18
Jan19

Vida a dois

bii yue

E estamos a viver juntos. 

Por diversas vezes quis que já tivesse acontecido, só que algo acontecia e mostrava que ainda não era a altura certa, que tudo iria ser o seu tempo. Aconteceu agora e tem sido o começo de uma nova aventura. Estou feliz com a decisão, era o mais acertado a fazer na situação em que nos encontramos, porque se continuassemos a viver separados iria ser extremamente complicado conciliar horários e lidar com a distância e o que isso iria implicar. É uma vida a dois e ambos os lados estão a fazer esforços e a ceder em algo, mas acho que é assim que as coisas funcionam.

No entanto, no início não foi um mar de rosas! Apesar de estar certa que era isto que queria já há bastante tempo, a mudança foi stressante, houve choques de personalidades e muitas emoções à mistura. Estava bastante habituada ao meu quarto, ao meu espaço e a minha relação com a novata é fantástica porque temos imensa coisa em comum, e por isso nunca faltava assunto e era tão bom ao fim de 6 anos finalmente viver numa casa onde criei uma amizade e havia refeições que não eram no meu quarto sozinha. Isso custou-me, porque apesar de não gostar daquela casa pelas outras raparigas, tentei fazer-lhe passar uma boa experiência de estar a viver longe de casa e apoiá-la no 1º semestre que é sempre tudo tão novo e uma pessoa sente-se desamparada. Era assustador, o que sempre quis estava ali à minha frente e ao mesmo tempo estava a sentir tanto que as coisas acabaram por sair fora do meu controle e parecia um desastre. 

Os dias foram passando, começamos a ajustar-nos um ao outro, ajustar rotinas e encontrar o nosso ritmo. É real, o que sempre quis, finalmente estou a começar a vivê-lo e estou feliz, porque ao fim de tanto tempo, tanta história, tantas lágrimas derramadas, suportar aqueles apertos no coração e uma dor que ainda magoa quando me lembro de quando estivemos um ano à distância, vale a pena. Ter aquele conforto e abraço ao fim do dia, acordar e puder enroscar-me, realizar o que fantasiava na minha cabeça, olhar e apenas aproveitar aquele sentimento de conforto e segurança, são das melhores sensações. 

Os pequenos gestos continuam a significar, ficam cravados na memória e enchem o coração.

Sobre mim

foto do autor

Parceria/Colaboração

contacto: helenabeatriz12@sapo.pt

Pesquisar

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Inspiração


Follow

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.