Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

because your smile make me live ♥

forceful, trust, connected & discovering the wonders of the universe ✨

because your smile make me live ♥

forceful, trust, connected & discovering the wonders of the universe ✨

20
Out20

Actos de amor próprio

alma de bii yue

Estar de volta a bruxelas significa voltar a estar sozinha comigo própria. Ocupar a mente e o corpo. Ouvir-me, sentir-me, reajustar-me. Lidar com as emoções e sentimentos, a incerteza do próximo a ano. Saborear a liberdade, ir na correnteza do momento, respirar e controlar-me. Os fins de semana, têm servido não só para estar com as pessoas daqui, mas principalmente para me dar amor das mais diversas formas... 

Uma limpeza profunda a todos os cantos do quarto, organização e decoração. Incenso para purificar e limpar, uma vela para criar um ambiente, imagens e fotos espalhadas pelas paredes, espanta-espíritos colocados em locais estratégicos, luzes entrelaçadas na estrutura da cama. Sempre quis ter um quarto no sótão e estilo tumblr e consegui. Sinto-me bastante confortável no espaço que criei, só não vamos falas das inúmeras vezes com que bato com a cabeça no teto quando estou nos cantos ou as nódoas negras nos joelhos e pernas porque as escadas são desafiantes.

Self-care. Dar atenção à pele com creme e máscaras, cuidar do cabelo com óleos, hidratar e mexer o corpo. Observar ao espelho, sentir o toque na pele, vestir o que me faz sentir bem e bonita. Dançar, cantar e voltar ao journalling. 

As botas militares estão novamente na moda, e desde adolescente que sempre quis ter umas. No entanto, a minha mãe não gostava e eram demasiado caras. Mas por terem voltado e ter o meu próprio rendimento disse a mim mesma que iria fazer esse investimento. Consegui encontrar o meu número, na cor branca e por 20 euros. Um achado e são mais confortáveis do que estava à espera.

122025485_666211420998628_249270130537227800_n.jpg

sou uma pessoa de plantas, mas amo rosas! Sempre quis ter a possibilidade de ir a um florista e comprar uma para mim própria. E foi isso que fiz este fim de semana, e acabei não com uma rosa, mas com um vaso com três botões vermelhos, a Amélia. Eu já a tinha visto a passar para ir apanhar o autocarro, e obviamente que tive que voltar e comprá-la. Vamos ver como as coisas correm, porque o meu quarto recebe luz durante o dia, mas não é direta e com o aquecimento acaba por ficar quente.

121701542_445784303067746_3090523404529505787_n.jp

Viver por mim, oferecer-me pequenos actos de felicidade, saborear ser adulta. Na luta contra a ansiedade e ataques de pânico, ajustar-me à mudança, lidar com a saudade no coração. Por um bocado permito-me porque agora tenho esse poder e dever.

10
Set20

hoje és ouvida

alma de bii yue

E ela via-se mais uma vez de caras com os seus demónios. Não fugiu, ficou ali a olhar-lhes nos olhos. A sentir os triggers, a deixar os traumas vir ao de cima, a gritar internamente, a chorar desalmadamente. As lágrimas carregavam consigo anos de sentir o seu espaço pessoal a ser invadido, a sua voz não ouvida e respeitada, os seus desejos negados. De ser incompreendida ao ponto de colocar uma máscara que nunca foi sua

Foi crescendo, a borbulhar em sentimentos que causaram uma ferida na sua criança, a construir muros de proteção, a utilizar uma máscara que ficou assimilada de que era a sua pessoa. O "problema era ela", daí calar-se, daí guardar tudo para si, daí ficar no seu mundo, daí carregar a dor dos outros e não só a sua. Assustada, sozinha, desamparada, impotente, pequena. Mas não era ela!, é o que foi assimilando, o que via e sentia, o que no pensamento ainda não formado de uma criança fazia sentido, criando uma verdade falsa e crença que ia crescendo.

Lágrimas que correm ... dor e libertação. Tristeza e alegria, clareza no meio de uma tempestade mental e sentimental, sozinha no escuro, dor no coração, leveza na alma. À sua frente, a criança e adolescente, a olharem para a mulher, que lhes têm dado colo, lavada na exposição e vulnerabilidade. 

Choro, respiração, escrita para ajudar a integração. Coragem de enfrentar a sua sombra não reconhecida. Uma dor que percorreu e juntou anos. Um momento doloroso mas que traz consigo a gratidão de se ter permitido...

growing through the internal pain

06
Set20

Queridos 25, obrigado.

alma de bii yue

25 anos, onde encerrei um ciclo, vivi um novo e início um novo. Com o coração cheio, felicidade e gratidão.

E assim chegaram os 26 anos, no meio de um ano onde já fui viver uma vida diferente, fora da minha zona de comforto e voltei à vida que conhecia. Até ao ano passado havia sempre algo já planeado ou um plano alternativo. Agora é o incerto da procura, o quero mas já não esta nas minhas mãos, o posso e é meu. 

A criança e adolescente queriam tanto este momento de ser adulta e nunca imaginaram que estaria de mãos dadas com elas, a aceitar-las e dar o que não consegui na altura. Trago aniversários na memória, tanto com o bom, como com o mau. Agora posso dar colo e esta tudo bem, porque há muitas outras memórias, um misto de emoções.

O que digo a mim mesma: estou orgulhosa de ti! Podes dar um passo a frente e voltar atrás meio passo, mas irás voltar a dar um passo em frente, e é assim que é feita este caminho. Confia, volta-te para dentro, respira, agradece.

IMG_8069.jpg

look at you higher self and you past self

22
Jun20

O caderno

alma de bii yue

Um simples caderno mas que carrega tantos ensinamentos, palavras inundadas de emoções, frases para reler e relembrar. 6 meses depois esta totalmente preenchido, após muitas aprendizagens e crescimento. O que levo é uma enorme gratidão e um sentimento inexplicável de saber o quão cresci, o quanto me transformei. A luz para dar lugar as sombras, as sombras gritarem para serem ouvidas e vistas. Começar a abrirem o caminho para a andarem de mãos dadas.

Foi no dia 14 de Dezembro que o recebi no workshop da Inês Pimental. Pouco tempo depois começou a ser preenchido pelo programa da Ana Silva, "Este e o momento faz de ti a tua prioridade". Poucas semanas depois da minha vinda para bruxelas começou a receber poderosas palavras graças ao programa da Carina Palma, "Conecta-te ao amor". A meio da quarentena veio o programa da Clarissa Guelves, "Livro do amor", que me fez dar aquele passo em frente que até então estava tão reticente de tomar. Para o terminar veio o programa da Nadia Bila, "Desafio de 7 dias para Despertar a Deusa Guerreira".

IMG_20200616_183350.jpg

Apesar de o tempo ser relativo e ter sido só uns meses, reler o que escrevi no início e tomar consciência, voltar aos dias em que comecei e sorrir! Mindfulness é estar mais consciente, mais presente, só conseguimos controlar o agora e o que é nosso, aceitar os baixos e celebrar os altos. Respirar e deixar fluir.

17
Jun20

Qual é a história da minha vida?

alma de bii yue

Poderia dizer que é uma história emocionante, mas é um percurso de vida com altos e baixos, onde errei mas também tenho vindo a aprender imenso.

Este primeiro paragrafo, foi o que tinha escrito quando me surgiu a ideia, depois de ver um vídeo da Cassey Ho da Blogilates. Mas desde então que ficou nos rascunhos, por meses e meses e quase de certeza que passou 1 ano. 

Até ter pegado nesta pergunta e colocado no papel. E escrevi, escrevi, escrevi... Por mais de 1h, as palavras iam saindo, ia revivendo os momentos mais marcantes, as emoções e sentimentos. Olhar nos olhos da criança, da adolescente e da jovem, até chegar a jovem adulta que sou hoje. E a altura de ter começado esta aventura. É um exercício poderoso, porque a história é poderosa e estamos completamente enrolados nela, sem darmos conta do valor. O que os momentos bons e maus trouxeram e fizeram por nós e o que somos neste presente. No entanto, a maneira como contamos essa mesma história aos outros e especialmente a nós mesmos é uma outra conversa

Vulnerabilidade! Para connosco, de pemitirmo-nos reviver as dores e alegrias, a estagnação e a progressão, os erros e as lições, de encarar as pessoas que fomos. Enfrentar momentos que nos trazem dor, tristeza, vergonha, descobrir traumas e a origem das crenças. Dar a mão à sombra e ir dando pequenos pulos de coragem e esperança. Permitir sentir, dar colo e amor, usar o poder interno. Porque ser vulnerável é o que esta a ser pedido no momento actual e é algo que me custa imenso. Dar-me permissão para pedir ajuda, mostrar as minhas verdadeiras faces, o que tenho tendência a guardar dentro de mim, e usar a minha voz, tem sido poderoso e transformador no interior e exterior.

Não é fácil, continua a existir um muro que não consigo transpor por impedimento próprio. medos, uma vez mais. Tenho muitas máscaras que uso e abuso, que estão impregnadas em mim devido a um mecanismo de defesa criado ao longo de anos para me proteger, mas também para me impedir de ver para lá do que o ego não queria. Lutar todos os dias, compreender a sombra, usar a minha voz, ser fiel à rotina de amor próprio.

Quero reescrever a minha história, apenas com uma visão mais alargada. As minhas pessoas fizeram o melhor que podiam com os recursos que tinham. Sou grata pelas lições que aprenderam, pelo que viveram e como me veem. Por isso, o meu reescrever é apenas olhar com outros olhos. Os momentos menos bons e onde não se sentiram amadas, estão agora a serem amadas e aceites. O amor e aceitação existiam, mas de maneiras diferente da que queriam receber e não eram capazes de entender, e esta tudo bem nisso. Porque eu agora entendo e sei que nunca estiveram sozinhas. Eu acolho-as, eu perdoo-as, eu amo-as e eu dou-lhes colo e amor. E hoje sou grata por há um ano atrás ter começado a dar os primeiros passos para me re-encontrar.

12
Jun20

Perguntas à quarentena neste mês de junho

alma de bii yue

Adoro ir ao espaço da Ainda Solteira, especialmente no início do mês quando ela faz o re-post sobre a energia do mês. A palavra renascimento, já me tinha aparecido em outras leituras e nada é por acaso, tudo é sincronicidade. O mês de junho é a continuação deste trabalho interior profundo que o objetivo final é o renascimento da verdadeira pessoa sem as máscaras que a sociedade nos obriga a assimilar ao longo dos anos.

Neste mês de junho as pessoas estão a voltar à rotina num ambiente de medo e falsa segurança, mas com a esperança e consciência que a vida parou, e aprendeu-se imenso ao termos tempo para nós e lidar com as diversas facetas e mudanças ao longo de 2 meses, mas agora é altura de voltar a sentir o significado de viver com liberdade (mesmo que ainda esteja um pouco condicionada) porque o simples é o grande.

As perguntas no post da Ainda Solteira chamaram à minha atenção e aqui vai a minha resposta. 

  • Será que consegui fazer as mudanças necessárias na minha personalidade, por forma a construir uma vida mais feliz?

Acredito que sim! Não sou a mesma pessoa que veio de erasmus, não sou a mesma pessoa do início da quarentena, não sou a mesma pessoa de ontem. Uma contínua aprendizagem, reconhecimento de processos, crenças e mudanças. Quando existe consciencialização e reconhecimento, torna a mudança mais fácil porque tendo ou não os recursos necessários para tal sei o que fazer! E confiar tanto no instinto como no universo. 

  • Será que consegui enfrentar os meus medos ou fiquei "escondida" à espera que tudo passe?

Alguns sim. Pelo menos tomei o primeiro passo de os encarar, onde é preciso reunir a coragem e um trabalho contínuo que não irá terminar nesta vida terrena. 

  • Será que abri o meu coração para poder perdoar o meu passado e começar a viver mais em paz?

Abri o coração e consciência. Agora é passinho a passinho.

  • Será que criei novas formas sustentáveis de viver o dia a dia e ser mais abundante?

Apesar de todo o trabalho interno, existem crenças que ainda estão fortemente enraizadas e que impedem um fluxo mais regular e depois temos a minha própria auto-sabotagem.

  • Será que consigo ser hoje mais feliz do que era há 3 meses atrás?

Sou mais feliz comigo mesma, sem dúvida. Passei a aceitar-me com todas as qualidades mas também defeitos. 

08
Jun20

Estou assustada.

alma de bii yue

Com toda a mudança que vai no meu corpo. Com toda a incerteza e medo no ar. Em encarar mais e mais o meu lado negro. Com ir descascando as camadas. De não ser o suficiente. De não saber o que realmente quero. De ter dúvidas do que sou. De ficar vulnerável. De falar a minha verdade. Da exposição da minha essência. De enfrentar os sentimentos. De olhar nas feridas. De confrontar e abraçar as sombras. De ver os traumas e crenças daquela adolescente e criança que fui.

São processos que mexem com o interior e exterior. Muitas emoções reprimidas a fluírem à superfície. Memórias esquecidas a serem relembradas. Falar com a criança e a adolescente culpadas e feridas, aprender a dar-lhe colo. Re-educar a mente, lutar contra as crenças limitantes, aprender como viver esta liberdade interior. Usar a minha voz, agarrar o comprometimento e aceitar o processo.

Respirar e libertar. 🙏

09
Mai20

Hapiness Continues

alma de bii yue

Hapiness Continues ... levou-me ao momento em que na rtp1 vi o concerto de londres, no cinema vi pela primeira vez o concerto 3D com uma amiga, o momento que comprei o livro e o meu primeiro cd, quando criei o blog e o orgulho que foi durante muito tempo estar no top 5 de pesquisa no google. Tantos anos, músicas em repetição, coleções, histórias, memórias, momentos com determinadas músicas, o sonho de os ver um dia, até ter sido destruído e depois voltar a ser possível. Ver mais um concerto, os depoimentos, as músicas, especialmente as mais antigas atingiram o meu coração. No meio de andar a dançar e a cantar pelo quarto com as lágrimas a escorrer de alegria, nostalgia, bastante emoção. 

Crescimento aconteceu, mas ficou na história e isso traz o peso e a necessidade de olhar para trás. De mãos dadas com a criança/adolescência que fui e a mulher adulta que sou hoje. Nostalgia e saudade, mas grata e feliz. Voltar no tempo têm o poder de curar a alma, mete medo mas é o caminho. O que vivi, o que passei, o que senti, o que me tornei, o que sonhei. Muita coisa vêm à tona, a felicidade, a histéria, o que foi criado, os olhos a brilhar, aquela luz de inocência, os medos, as inseguranças, as sombras, a escuridão da adolescência. Mas esta tudo bem.

21
Abr20

Quando ciclos estão a chegar ao fim

alma de bii yue

Tomei consciência que a minha alma esta a pedir luto.

É muita emoção que o meu coração carrega. Numa roda de ganhos e lutos, fez-se o clique e tudo isto veio ao de cima, o lado sombra veio abraçar-me, parei para pensar no porquê de estar a sentir-me tão pesada... Tristeza, medo, nostalgia, saudade, frustração, concretização, orgulho, tranformação, despertar, amor.

Luto por o programa "este é o momento faz a tua prioridade" ter chegado ao fim. Luto por o programa "conecta-te ao amor" também estar a uma sessão de chegar ao fim. Luto pelas vidas que tive, a de portugal e de bruxelas antes da pandemia. Luto por não ir conseguir concretizar as viagens que tinha planeado e ir sentir-me a falhar. Luto por não me sentir produtiva e ter energia. Luto pela pessoa que era há um ano atrás, quando comecei a jornada de desenvolvimento pessoal, pela pessoa que era no início dos 2 programas. Luto pelas crenças limitadoras que consegui libertar, pelo desapego que fui praticando. Luto pelo tempo de medo e incógnita que estamos a viver. Luto por ter as almas que me fazem vibrar no amor estarem tão longe de mim. Luto pela incerteza do futuro. Luto pela dificuldade de ser adulto. Luto pelas crenças limitadoras e apego que ainda trago. Luto por nem sempre manter a rotina. Luto por haver dias em que estou completamente desconectada, especialmante em algo que sempre desejei desde o início. Luto por deixar-me levar pelas vibrações mais baixas. Luto por complicar o simples. Luto pelo peso que tudo isto traz para o meu corpo e o meu espírito. 

"Este é o momento faz de ti a tua prioridade" acompanhou-me no processo da mudança, já fazia parte da rotina às terças e domingos entrar no zoom e sentir aquele ambiente de partilha. Ajudou-me bastante, já não sou a pessoa que era, deu-me as ferramentas que precisava sempre no tempo certo. Hoje fui ver o caderno e fiquei tão orgulhosa e estupefacta por uma das crenças que tinha escrita já não existir! Desde pequena que sempre me via como uma pessoa de pequenos azares, e a verdade é que hoje em dia continuo a tê-los. Mas já não penso que são azares, são coisas que acontecem por alguma razão externa ou interna a mim. Não sei quando deixei de pensar assim, mas nunca mais tive esse pensamento. E isto é simplesmente lindo. Há muitas outras coisas que fui integrando e ver a evolução é extraordinário. Porque não é um caminho simples, exige trabalho, dedicação e amor. Foram meses, 8 módulos percorridos (espiritual, mental, físico, psicológico) sobre amor próprio, essência, espiritualidade, relações, propósito de vida, transpessoal. Sou imensamente grata pela oportunidade que apareceu à minha frente. 

"Conecta-te ao amor", veio fazer com que olha-se para mim de uma perspetiva externa e mais profunda. E apesar de só ainda ter trabalhado certos assuntos, os outros serão com o tempo, comecei a ver feridas que nem imaginava que tinha (nem tudo é só nosso), comecei a conectar-me verdadeiramente comigo a todos os níveis, comecei a despertar ainda mais como mulher e como ser de luz e sombra. Começar a tirar as camadas e ir ao fundo do que sou e o que trago inconscientemente e involuntariamente comigo e é assustador, é demasiado real, mas também é libertador e as mudanças vão acontecendo sem dar conta. Os nós começam a desfazer-se e  as coisas simplesmente acontecem. 

Sou imensamente grata pelas oportunidades que apareceram à minha frente, não só as que estão a acabar mas também as que estão a começar. É um investimento em mim, que não me arrependo porque trouxe tanta magia e descoberta para a minha vida.

Sentir o negativo é algo que o ser humano automaticamente quer ignorar, mas é tão importante e necessário como com o positivo. Faz parte do ciclo da vida, viveu-se e há que dar espaço e consolo a nós próprios para sentir. É pesado, é duro, é um luto. Estão a começar a fechar-se ciclos, para eventualmente outros se abrirem. Sentir e confiar, ouvir o coração e a intuição.

Mais uma vez tudo se encaixa com uma sintonia preciosa e graciosa. 

E agora?! ♥

prazer, entra neste cantinho virtual 💌

2E0A6715
biiyue, sou uma adulta a descobrir como viver a vida.
uso as palavras e imagens para me expressar. a jornada de desenvolvimento e cura pessoal é o que me faz lutar para descobrir do que mais sou capaz.
vai buscar chá ou café, põe-te confortável
se ressoar, sê bem-vind(o-a) e fica o tempo que precisares 🌟

descobre-me

foto do autor

Parceria/Colaboração

contacto: helenabeatriz12@sapo.pt

baú de recordações

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

you're doing great! ♥

vibes ✨

pesquisa e encontra

Instagram

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais de mim no mundo social


Follow